.

RESENHA: HORROR NOIRE - A REPRESENTAÇÃO NEGRA NO CINEMA DE TERROR

23 de setembro de 2019


Horror Noire - A Representação Negra no cinema de Terror
Autores:  
Robin R. Means Coleman
Editora:
 Darkside
Páginas
: 464
Resenha escrita por:
 Leonardo Santos


Desde que Ben colocou ordem na casa em A Noite dos Mortos-Vivos (1968), de George A. Romero, ver um personagem negro como herói nos filmes de terror se mostrou possível — e pra lá de necessário. A Noite dos Mortos-Vivos é um clássico cult agora, e foi uma das maiores contribuições de Romero para o gênero e para a mídia, contudo, já se passaram cinquenta anos desde que o filme exigiu que nos perguntássemos o que era mais assustador: zumbis comedores de carne, ou aquilo que fazemos uns com os outros diariamente?
O terror, como gênero que desafia limites, tem sido um lugar para análises provocativas de racialismo e racismo bem como alternativas na cultura popular estadunidense. E muito se tem pesquisado e escrito sobre a história dos negros no cinema, mas até agora sua presença — ou ausência — nos filmes de terror tem sido relegada a um único capítulo ou a várias notas de rodapé. Para contribuir com a narração histórica da negritude no cinema de gênero, a Dra. Robin R. Means Coleman — professora norte-americana nascida e criada na mesma cidade que Romero e Tom Savini — desenvolveu uma pesquisa profunda com a análise das imagens, influências e impactos sociais dos negros nos filmes de terror desde 1890 até o presente.



Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha de uma das leituras que mais me impactaram neste ano, não é nada mais do que o lançamento da Darkside intitulado Horror Noire - A Representação Negra no Cinema de Terror.

Qual a nossa expectativa quando procuramos um filme de terror para assistir? Levar um bom susto com uma cena jump scare, ficar amedrontado com alguma aparição ou personagem maluco ou ser surpreendido com um enredo inesperado e chocante! Sim, essas podem ser algumas das expectativas que criamos ao assistir um filme de terror, e olha, estamos cheios de filmes que completam todos esses quesitos! Mas, por um acaso, já paramos pra pensar na representatividade que temos nesses mesmos filmes?



Geralmente não é algo que passa na cabeça de muitos, afinal foi criado uma normatividade a respeito de protagonistas brancos em filmes de quaisquer gêneros, o terror por si só serve como prova disso, é só olharmos pros principais longas deste gênero tão famoso no decorrer das décadas do século passado, e porque não, nos últimos anos também? O resultado assusta mais do que qualquer demônio ou aparição. 

É aí que entra o trabalho da ilustre Robin R. Means Coleman, professora na Universidade de Michigan. Robin iniciou então uma pesquisa da representação de negros no cinema, mais especificamente no gênero que tanto amamos: o horror. Sua pesquisa é minuciosa e trás dados extremamente relevantes sobre a questão racial que Hollywood tanto finge não existir. Seu método de pesquisa é dado por décadas, explorando desde a origem de negros e negras em papéis de destaque na grande telona. 

A luta foi (e ainda é) constante! Por mais que eu já soubesse deste racismo cometido, eu não imaginava sua proporção, mas tudo se trata na arte de observar bem: (principalmente nos filmes mais antigos), nos longas, quando o negro ocupa um lugar de poder? Seus papéis costumam ser de funções de serventia, o que nos remete a conceitos históricos extremamente macabros. Tal questão é abordada por S. Torriano Berry um dos cineastras que compõem para a obra através de uma introdução.

“Ver um personagem negro arregalar os olhos e empalidecer ao se deparar com um fantasma não teria sido tão ruim se o seu papel seguinte ou anterior tivesse sido como um médico, advogado ou empresário de sucesso. No entanto, os filmes hollywoodianos relegavam aos negros os personagens subservientes, como mordomos, empregadas e motoristas”

A fala do professor me deixou extremamente indignado mediante àquilo que nós já conhecemos, mas passamos a ignorar por considerar "comum", e o mais interessante de tudo isso é o poder que o conteúdo deste livro dá para que possamos abrir diálogos e debates a respeito dessa representatividade no cinema. 

Tais conceitos começaram a seri dialogados, um dos grandes precursores modernos deste tema é o diretor/roteirista Jordan Peele, responsável por nos trazer os impactantes Corra! e Nós. Ambos os filmes trazem o melhor do thriller, amarrado a um enredo extremamente inteligente e perturbador, e olha só, são ambos protagonizados por negros.  Além de sucesso de bilheteria, ambos são muito aclamados pela crítica especializada, fazendo vários comentários de racismo velado caírem por terra. 

Dito isso, tive uma experiência de leitura muito interessante, a pesquisa da autora se dá de forma cronológica, nos mostrando desde os primórdios do cinema como a questão racial era tratada. O embasamento da autora é fenomenal, dá pra ver o quanto ela pesquisou sobre o tema! Em diversos momentos da leitura fiquei indignado e surpreendido com algumas informações apresentadas, pois parece ser enredo de um filme de terror (quando na verdade é o que rola por trás de um). 

Horror Noire
se tornou uma das minhas leituras mais intensas do ano, àquela que atribuiu a mim retórica e fúria para se falar sobre o horror que ronda as produções da sétima arte ao redor do mundo. É importante debatermos e prestigiarmos o conteúdo deste livro na intenção de se fazer deste conhecimento o mais popular possível!

Preciso então reforçar a enaltecer o trabalho da Darkside por trazer esse material pra gente com uma incrível diagramação! Além de possuir um corte colorido e capa dura, as artes que compõem esse livro são um talento a parte, as últimas páginas são dedicadas a uma galera incrível com diversos pôsteres dos filmes tratados na parte escrita. Além disso o Horror Noire vem com uma série de post pôsteres incríveis! Vale muito apena adquirir. <3

Saiba mais sobre a obra (e onde comprá-la) neste link!

13 comentários:

  1. Não conhecia esse livro ainda. Muito linda essa edição. Bom terror não é a minha praia então eu passo a dica. Mas gostei da sua resenha e principalmente da questão abordada no livro.

    ResponderExcluir
  2. A Darkside vem fazendo uma trabalho realmente incrível nos últimos tempos, eu não conhecia o livro e nem sabia da grande influencia de " A noite dos Mortos Vivos " no cinema, seu post ficou maravilhoso!

    Bjs Aruom Fenix

    Blog Leituras de Aruom

    ResponderExcluir
  3. Eu tô louca pra ler esse livro! Darkside sempre arrasa trazendo não só histórias, como documentários incríveis e muito interessantes como esse. A gente nunca para e repara nas questões, só quando elas questionadas, e admito isso. Fiquei chocada quando resolvi pesquisar mais

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia esse livro, mas é um assunto a se pensar mesmo. A gente pena só no susto nesses filmes, mas não se liga muito na questão da representatividade. Eu fiquei realmente admirada com os fatos, ainda mais porque eu nunca tinha parado para pensar a respeito.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna | Instagram

    ResponderExcluir
  5. Adorei poder conhecer essa edição da Darkside desse clássico cult agora! Confesso que eu sou daquelas pessoas que evita assistir filmes de terror, por não gostar de levar susto rsrs'. E realmente, eu nunca parei pra pensar na representatividade que temos nesses filmes? Muito interessante essa questão que levantou e fiquei intrigada e me trouxe bastante reflexão! Gostei bastante da resenha que você trouxe aqui dessa super obra e de conhecer as considerações que você fez sobre a mesma! Achei tudo ótimo! Gostei de saber que essa também foi uma das leituras que mais te impactaram esse ano. E agora, entendi o por que! Muito bom!

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem? O trabalho da Darkside é incrível. Tenho muita curiosidade em ler os livros publicados pela editora. Esse não conhecia. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  7. Oie! Eu estou doida pra fazer essa leitura. Achei a edição do livro maravilhosa e o assunto abordado de extrema importância. Trabalhar a representatividade em lugares que eu nunca havia parado pra observar!

    Abraço

    www.coisasdemineira.com

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia esse livro mais achei bem interessante rsrs. Ainda mais por se capa dura amor livros assim.

    Parabéns pela resenha 👏🤗

    ResponderExcluir
  9. Fato é que a Darkside é incrível! E essa novidade tenebrosa eu ainda não tinha conhecido anterior à sua perfeita resenha! Adorei a dica, que se torna uma ótima pedida ao mês de outubro!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Estou querendo ler esse livro em Outubro (esse mês) acho que vou gostar ♡

    ResponderExcluir



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: SEGUNDA FUNDAÇÃO

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels