.

RESENHA: TARTARUGAS ATÉ LÁ EMBAIXO

2 de janeiro de 2019

Tartarugas Até Lá Embaixo
Tartatugas Até Lá Embaixo
Autora: John Green 

Editora:
 Intrínseca
Páginas
: 272
Resenha escrita por:
 Leonardo Santos

Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, o autor do inesquecível “A Culpa é das Estrelas”, lança o mais pessoal de todos os seus livros: “Tartarugas Até Lá Embaixo” A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto tenta lidar com o próprio transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, distúrbio mental que o afeta desde a infância –, “Tartarugas Até Lá Embaixo” tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.



Fala galera do Porão Literário! Tudo certo? Nesse clima de início de ano minhas leituras estão fluindo! O livro da vez é Tartarugas Até Lá Embaixo. Depois de um recesso de seis anos, John Green retorna com o que pode ser um dos melhores livros dele até agora. Quer saber mais? Confira a resenha abaixo:




A história gira ao redor de Aza Holmes, uma adolescente de dezesseis anos que sofre de transtorno obsessivo compulsivo (conhecido também como TOC), e junto com a sua amiga Daisy, embarca em uma investigação para encontrar um bilionário que fugiu após ser acusado de fraude. O que interessa as duas garotas é a recompensa por qualquer informação que possa levar a polícia a encontrar o foragido, e nisso elas contam com uma vantagem, pois Aza conhece o filho do cara, Davis.



A partir daí a história passa entre a investigação das duas a respeito do pai de Davis, o transtorno de Aza e sua relação com todos ao seu redor (e principalmente como o TOC influencia em cada um deles). Aqui, John Green constrói uma personagem complexa e extremamente real ao escrever em primeira pessoa, sério. É aflitivo ler Aza precisando lidar com seu transtorno, não há romantização da doença de forma alguma, no livro ela é tratada de uma forma brutal e que faz jus a quem sofre com isso.

A protagonista tem pavor de bactérias, ela passa horas por dia procurando em fóruns da internet como essas bactérias são contraídas e como elas podem se proliferar no corpo. Tal pesquisa é levada a obsessão conforme o transtorno vai se tornando mais evidente, John Green faz isso com um domínio agoniante.

Você se lembra do seu primeiro amor porque os primeiros amores mostram – provam – que você pode amar e ser amada, que nada nesse mundo é merecido exceto o amor, que o amor é ao mesmo tempo como e por que você se torna uma pessoa.


Além disso, um outro ponto forte do livro são seus personagens secundários muito bem desenvolvidos, como por exemplo a melhor amiga de Aza, Daisy. Eu me apaixonei pela personalidade da menina, que é famosa na internet por escrever fanfics de Star Wars, particulamente uma série em que Ray e Chewbacca possuem um  relacionamento! A garota é muito energética e proporciona um alívio na narrativa, enquanto Davis, o filme do bilionário desaparecido e antigo amigo de Aza, capta mais a essência dos livros do John Green ao mesclar uma melancolia e filosofia. Davis pode quebrar todos os esteriótipos que um adolescente bilionário poderia resguardar.

Não é o coração, ou os pulmões, nem o cérebro. A maior e mais importante parte do corpo é a parte que dói

O mérito da obra em trazer referências e metáforas a literatura e filosofia sempre foi um ponto em que o autor se diferencia de outros autores que publicam para o público young adult, e em Tartarugas até lá Embaixo não poderia ser diferente, o incrível é a forma em como o autor coloca conceitos filosóficos na obra de forma que tudo se encaixe, principalmente nos diálogos entre Aza e sua psicóloga.

No geral, Green não decepciona em seu novo livro, antes de ler fiquei meio em dúvida pela sinopse que não revela quase nada, no entanto a forma em como o escritor aborda a mente de Aza (de forma tão pessoal e visceral) torna a personagem muito verissímil. É interessante notar que o escritor tinha tudo para lançar um romance teen clichê que fosse um grande sucesso comercial, mas a obra do autor em lançar um livro tão pessoal e forte prova que ele merece ser muito mais reconhecido do que pelo seu trabalho com A Culpa é das Estrelas.

O problema dos finais felizes é que ou não são realmente felizes, ou não são realmente finais, sabe? Na vida real, algumas coisas melhoram e outras pioram. E aí a gente morre

13 comentários:

  1. Olá!

    Já li muito sobre esse livro mais ainda não tive a oportunidade em ler, mas amei sua resenha e pretendo comprar ele em breve.

    ResponderExcluir
  2. Nossa já faz 6 anos de recesso do John? Caramba, acho que parei de contar os anos! hehe. Engraçado que já vi muito falar desse livro mas não sabia realmente do que se tratava, eu gosto bastante desse tipo de livro em que o personagem tem que lidar com algo forte e que se aproxima da realidade, bem a cara do John mesmo. Vou colocar na wishlist, abraços!

    www.ironicageek.com

    ResponderExcluir
  3. Até hoje o único livro de John Green que li até hoje foi justamente A Culpa é das estrelas! Já li várias resenhas sobre Tartarugas até lá embaixo, mas não consegui me interessar pela premissa da história! Sua resenha ficou boa, mas a história é que não parece interessante para mim.

    ResponderExcluir
  4. O livro parece incrível pena que não gosto nada do tipo de escrita do john green, então tenho certeza que ao começar a ler eu ja iria querer parar, pois o seu estilo de escrita me desanima. Ótima resenha

    https://www.luartico.com/

    ResponderExcluir
  5. É um dos livro que deixei na minha lista para ler esse ano,e vendo sua resenha vejo que tenho que ler ele logo mesmo

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?

    Dos livros do John publicados no Brasil só não li ainda "Tartarugas até lá embaixo", mas é uma leitura que quero fazer o quanto antes, pois provavelmente irei adorar. Adoro o fato do autor ter abordado o transtorno de limpeza mais grave, com certeza vai abrir a mente de várias pessoas. Adorei sua resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Ei, antes de comentar do livro queria deixar claro minha admiração pela sua escrita e pelo blog, parabéns! rs
    Referente ao livro, ainda não tinha ouvido falar dele, mas super me interessei pela história, obrigada pela indicação.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Tenho bastante vontade de ler esse livro. Já havia lido algumas resenhas, mas essa sua me arrebatou. Vou listar para esse ano.

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?

    Eu acho essa capa simples e ao mesmo tempo muito bonita, Tartarugas até lá embaixo parece ser um livro fascinante, tenho muita vontade de ler a obra. Parabéns pela resenha, ficou ótima!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. John Green sempre me fez chorar e eu amei esse livro, sou uma grande fã dos livros dele e da famosa A Culpa é das Estrelas, me emocionei com o livro e o filme e amei o fato de ter ficado muito parecido com o livro, eu gostei. Clichê e mistérios mexem com minha mente mas amo.

    ResponderExcluir
  11. Minha sobrinha tem esse livro, mas ainda não me interessei em lê-lo, não sei porque. Li e assisti A Culpa é das Estrelas e gostei muito.

    ResponderExcluir
  12. Conheci o John Green pela " A Culpa é das Estrelas", como com certeza muitas outras pessoas. Gosto muito de finais não felizes, ou ao menos que não seja como um conto de fadas, tanto que sou apaixonada por Nicholas Sparks. Não conhecia esse, mas achei uma ótima sugestão de leitura.Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Sou apaixonada pelo tio John, inclusive já troquei inbox com ele no Facebook ^^ mas ainda não tive a oportunidade de ler este livro. Amei ler tua resenha, me fez colocar mais esse livro na minha lista de prioridades.

    ResponderExcluir



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

CLIQUE E PARTICIPE!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: NOVO MUNDO EM CHAMAS

parcerias

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels