.

RESENHA: DRÁCULA

28 de março de 2020


DRÁCULA
Autor: Bram Stoker

Editora: DarkSide Books

Páginas
: 580 páginas
Resenha escrita por:
 Leonardo Santos
Compre aqui!
Autor do sucesso “Tudo que acontece aqui dentro”Ninguém avisa a gente que amar faz a pele arder e o peito dilatar, seja com as coisas dando certo ou não. Contos de fadas não duram muitos dias na vida real, o amor é o que faz tudo valer a pena. Torço para que você seja feliz, e que possamos caminhar juntos. Hoje eu quero o para sempre, mesmo sabendo que não posso controlar tudo. Há coisas minhas que são tão suas, a ponto de eu não ter coragem de colocar uma roupa nova sobre elas, porque eu não quero te esquecer. Foi muito bom te reencontrar nesse processo. Nas viagens de carro que fizemos, nas noites em restaurantes baratos e nos domingos de carnaval fechados em nosso próprio mundo, nós construímos algo especial. VOCÊ TINHA PRESSA, EU TINHA MEDO… Suportamos isso. Ignoramos inclusive as partes chatas da existência. Esses momentos difíceis retornam, de vez em quando. Contudo podemos nos perdoar e ter novas chances.
Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Talvez poucos personagens da literatura conseguiram envelhecer tão bem quanto o famoso Conde Drácula, responsável por inúmeras adaptações e releituras nos últimos anos seja na TV, no cinema ou cultura pop no geral, o sanguinário conde incitou uma legião de fãs. Entretanto, se atendo a obra original de Bram Stoker, será que sua visão do Drácula ficou datada? Vem conferir comigo!





Enquanto a história, creio que não precisarei me prolongar demais justamente por já ser tão conhecida! Tudo começa com a visita do advogado Jonathan Harker ao castelo do Conde Drácula, na Transilvânia. O motivo da visita é a negociação de um imóvel que será adquirido pelo conde em Londres, Harker estranha alguns fatores, tais como a repulsa que todos os cidadãos daquela cidade tem com relação ao Drácula, muitos evitam até passar em perto de seu gigante castelo e propriedades. 

Outro fator é a própria figura do Conde, que insiste em manter Harker como um visitante por mais tempo que o necessário para as negociações, a prerrogativa do Conde é de absorver do advogado os costumes e sotaque britânico, para adaptar-se melhor. Entretanto conforme os dias passam Harker se vê preso no castelo, e aos pouco perdendo toda sua vitalidade. O homem começa a se desesperar, tentando voltar para casa e para sua mulher, Mina, que anseia seu retorno. 

Mina, além de estar preocupada com o desaparecimento de seu marido há meses, está preocupada com o mal estar de Lucy, sua melhor amiga e confidente. Mesmo com a ajuda de Dr. Seward, Lucy parece cada vez mais fraca e pálida, este não é o único acontecimento estranho rondando a Londres vitoriana, pessoas estão desaparecendo, embarcações vindas de países remotos são dadas como mortas… Nisso, Lucy já se encontra em uma situação de quase morte, Seward convoca um antigo amigo para ajudar-lhe a compreender o que está acontecendo com Lucy, o dr. Van Halsing. 

Conforme Van Helsing começa a investigar o caso de Lucy, e conforme vai ligando os pontos, percebe que o que gira em torno daquele grupo é algo sobrenatural. 
Galera, por muito tempo eu quis ler a história original do Drácula, e confesso que fiquei maravilhado quando peguei essa edição da DarkSide Books em minhas mãos, mas primeiro vamos ao enredo. Pra começar, eu achei incrível a forma como a narrativa é proposta: os capítulos são trechos retirados das anotações pessoais dos personagens, seja do diário de viagens de  Jonathan Harker (no começo da narrativa), até o diário de Mina e as anotações profissionais do Dr. Seward e de Van Helsing. Cada um tem a sua forma de tecer os acontecimentos e nos leva a um questionamento diferente. 
Só compreendemos a verdadeira dimensão de certos horrores quando nos vemos face a face com eles.”

O mérito dessa imersão na história se dá também pelo trabalho exímio da editora de diagramar o texto para que nos dê a impressão de estar lendo a escritura original dos personagens! 

Um outro fator também que me interessou muito foi a forma de como a figura nefasta do Conde é estabelecida através dos olhos dos outros personagens, chega a ser assustador sua inteligência e imponência diante dos protagonistas. O interessante é que nunca temos o próprio Conde narrando algo, mas sim a visão de um humano diante a ele, isso deixa a figura do Drácula mais mística, pouco conhecemos dele, e assim sendo, não podemos medir o quanto ele é ameaçador!

Agora preciso compartilhar um fator que me estressou muito durante a leitura, mas antes eu já vou deixar claro que: Por ser uma obra escrita no século XIX, eu já imaginava que teria trechos machistas adotados pelo autor na construção de suas personagens femininas, entretanto eu não achei que seria tantos. 
Vou melhorar minha aparência, e, se continuar com vontade de chorar, darei um jeito de fazer isso longe dele. Suponho que seja uma dessas lições que nós, pobres mulheres, precisamos aprender na vida…”

Em certo ponto da narrativa chegou a me incomodar MUITO a forma como Mina é menosprezada ou então limitada pelo time de personagens masculinos que dialogam com ela. Para mim um dos maiores erros da obra está justamente nessa superficialidade colocada na personagem, assim como nos excessos do autor em colocá-la como sexo frágil. 
Somos muito gratas, dr. Seward, por tudo que o senhor fez, mas precisa cuidar para não se estafar. Está tão pálido. Precisa de uma esposa ou de uma enfermeira que cuide bem um pouquinho do senhor, isso sim!”


Se por um lado temos uma personagem fragilizada pelo autor, por outro temos um personagem (homem) extremamente conveniente para a narrativa. O doutor Van Helsing é quem parece ser o ser sobrenatural dessa obra, isso porque o personagem parece um super-herói. Entre seus títulos estão o de cientista, médico, advogado, filósofo e doutor em letras, tais honrarias o fazem esperto até demais, sempre solucionando os conflitos da narrativa de forma muito “fácil”. A própria edição da DarkSide coloca uma nota de rodapé na primeira aparição do doutor evidenciando essas características. 

Dito tudo isso, vamos a edição espetacular da caveirinha! A que eu comprei (das fotos) teve um design inspirado na primeira edição lançada, com as laterais vermelho escarlates, o livro realmente parece sagrado! Além disso a edição está recheada de extras que complementam a experiência literária como nenhuma outra edição fez! Sério, tem contos extras do Drácula escritas pelo próprio Stoker, prefácio e posfácio de autores especializados, galeria de imagens das adaptações feitas… Olha, uma edição definitiva com certeza. Além dos problemas denunciados por mim, com certeza vale ter esse clássico da literatura na prateleira. 


5 comentários:

  1. Adorei sua resenha! A editora arrasou na formatação do livro, se eu visse para vender mesmo não conhecendo a história, já chamaria a minha atenção.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bom?
    Darkside arrasa em todas as edições que ela lança, recentemente comprei Frankstein da editora, e é lindíssimo.
    Adorei sua resenha, embora já tenha consciência spbre o fato do machismo, tendo em conta o ano que foi escrito. Esse livro nessa edição está na minha lista de desejados.

    Bjuss
    Entrelinhas

    ResponderExcluir
  3. Esse livro é fantástico. Eu li uma outra edição, com uma capa marrom, mas essa da Darkside está linda.

    Tatiana

    ResponderExcluir



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

CLIQUE E PARTICIPE!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: NOVO MUNDO EM CHAMAS

parcerias

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels