.

RESENHA: A FILHA ESQUECIDA

13 de julho de 2020


A FILHA ESQUECIDA
Autor(a): 
 Armando Lucas Correa  
Editora: Jangada
Páginas: 384
Ano de publicação: 2019
Compre através deste link.

Em 1939, um casal vê seus sonhos destruídos quando os nazistas invadem a cidade de Berlim. Enquanto o marido Júlio é levado para um campo de concentração, a esposa Amanda foge para o sul da França, onde é obrigada a fazer uma escolha impossível. Após um tempo escondida, Amanda é levada pelas forças nazistas a um campo de trabalhos forçados onde precisa mais uma vez reunir forças para fazer um sacrifício heroico. Já em 2015, Elise, uma francesa que chegou a Nova York depois da Segunda Guerra Mundial, fica chocada ao descobrir que décadas de segredos de seu passado começam a vir à tona através de cartas escritas por sua mãe. A Filha Esquecida é uma saga familiar sobre o amor e a resiliência diante dos grandes desafios da vida.

Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro A Filha Esquecida, lançado pela editora Jangada. O livro é de autoria de  Armando Lucas Correa e tem tradução de Denise de Carvalo Rocha. 



A história começa em Berlim, em 1939. Amanda Sternberg é proprietária de uma livraria chamada Jardim das Letras, apaixonada pela literatura e pelos corredores repletos de estantes cheias de sua livraria, Amanda mal pode esperar para finalmente dar a luz a trazer ao mundo sua primeira filha (ela tem certeza de que é uma menina), assim como seu marido Julius, um renomado doutor da comunidade. O que Amanda não esperava era trazer sua primeira filha a um mundo em guerra.

Tudo começa com o apagamento da história, jovens intitulados como a Juventude Hitlerista invadem sua loja e queimam todos os seus livros. Alguns anos se passam e Amanda tem duas filhas, Viera e Lina, no entanto seu marido Julius é pego e levado para um campo de concentração, assolada com a notícia, Amanda precisa se mexer para garantir a sobrevivência de suas filhas.



Julius consegue criar um plano para retirar as meninas da Alemanha, uma embarcação com destino a Cuba em uma viagem dura e sofrida para meninas tão jovens. Amanda então se vê diante de uma situação impossível. O que fazer para garantir que suas filhas escapem do ódio dos ditos "patriotas da nação?"

Pra início de conversa, eu gosto muito de romances históricos, inclusive já li uma boa quantidade deles (principalmente quando era mais novo) e sou meio chato na hora de pegar um deles pois, como já li bastante, me tornei meio criterioso no gênero. Solicitei A Filha Esquecida pois tinha achado a premissa interessante por conta de ser baseada em fatos reais.  Porém nada muito novo, no entanto, remexer a Alemanha nazista já foi MUITO explorado em vários livros, mas ainda sim queria ver qual ponto do autor dava para essa história. 

Fui bem surpreendido, isso porque a trama começa em 2015 em Nova York, temos então Elise como protagonista, uma senhora de 80 anos que recebe uma ligação de um desconhecido alegando ter cartas da mãe de Elise, a mulher fica chocada, visto que tentou deixar seu passado no esquecimento, mas concorda em receber essa pessoa. Então o capítulo se encerra e voltamos no tempo, para 1939. 

Essa dinâmica funcionou muito bem, pois te deixa curioso para saber quem é Elise e no que ela se relaciona com Viera e Lina. Além disso a escrita do autor foi o que mais me convenceu a devorar o livro (eu li em três dias)! Armando consegue tecer MUITO bem os fatos históricos com uma narrativa envolvente e sentimental. 

Isso porque o foco do livro não é uma análise sobre o nazismo em si, mas a luta de uma  mãe em proteger suas duas filhas a qualquer custo. É muito bonito ver a relação de Amanda com Viera e Lina, e me sensibilizei muito com a forma como a crueldade do ser humano é posta contra as duas, você torce para Amanda desde a primeira página.



Além disso, achei muito interessante o fato do autor colocar a França como cenário principal do livro, isso porque a mãe consegue se refugiar no país vizinho (isso não é spoiler, está na sinopse do livro), e ali boa parte da narrativa é feita. Ter esse outro prisma de como a guerra afetou a França (com foco nos pequenos vilarejos afastados da capital) foi bem interessante de se ler. 

Enfim, no geral a leitura me surpreendeu bastante. Fiquei bem interessado em ler o outro livro do autor, intitulado A Garota Alemã! Indico este livro pra quem gosta de uma história com personagens fortes e que, em situações tão cruéis, macabras e preconceituosas (como foi o nazismo), estão aptos a se sacrificarem por aqueles que amam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: MOBY DICK

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels