.

RESENHA: DESCONSTRUINDO UNA

14 de janeiro de 2021



DESCONSTRUINDO UNA 
Autor(a): Una
Editora: Nemo

Páginas: 208
Ano de publicação: 2016
Compre através deste link.

UM RELATO ALARMANTE SOBRE A VIOLÊNCIA DE GÊNERO. West Yorkshire, 1977. Um assassino em série está aterrorizando o condado inglês, e a polícia encontra dificuldade em resolver o caso – mesmo tendo interrogado o assassino (sem o saber) nada menos que nove vezes. Enquanto a história se desenvolve ao seu redor, Una, então com 12 anos, vivencia uma série de atos violentos, pelos quais se culpa. Por meio de um entrelace de imagem e texto, Desconstruindo Una examina o significado de se crescer em meio a uma cultura na qual a violência masculina não é punida ou questionada. Com uma retrospectiva de sua vida, Una explora sua experiência e se pergunta se algo realmente mudou, desafiando a cultura que exige que as vítimas de violência paguem por ela.

Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro Descontruindo Una, lançado pela editora Nemo. O livro é de autoria de Una.


Em um panorama bruto, cru e ao mesmo tempo sensível, a narrativa de Descontruindo Una se dá através de uma graphic novel. Nela, a autora irá retratar o peso do silêncio em que a sociedade envolve quando uma mulher é abusada ou violentada. 


O tema violência de gênero sempre foi envolto em um tabu gigante, principalmente nas décadas anteriores. Falar sobre um caso de agressão (seja física ou psicológica) a mulher era taxado como "complicado" pois haviam "muitas perspectivas em jogo". Logo, o silêncio era a melhor opção, até mesmo para "preservar a índole da vítima" e outras desculpas que foram sendo usadas para velar a prática abominável. 

Una, no entanto, consegue trazer esses assuntos a tona de uma forma poética e dolorosa. Fiquei extremamente impressionado com a qualidade de sua escrita e de seu traço. Para nos ambientar em um tempo e espaço, a autora evoca uma série de feminicídios que ocorriam em West Yorkshire, na Inglaterra, durante a década de 80. 


Para isso, o formato da graphic novel se altera diversas vezes, algumas trazendo dados relevantes da época, outras vezes parecemos entrar na mente da protagonista (que sofreu um abuso quando nova)... Uma coisa é perceptível - e pode até ser vista na capa: O silêncio pesa, torna-se um fardo... muito mais do que isso, uma dor constante que parece aumentar a proporção a cada olho revirado e cada insulto jogado àquela que sofreu essa violência. 

É... complicado falar de um assunto do qual eu, um homem, não tenho uma noção real. Mas as páginas de Una ultrapassam esses parâmetros e nos entrega um pedido de mudança, um pedido de, no mínimo, pensarmos que outras pessoas podem estar sentindo muito mais do que aquilo que está na superfície. 


Uma coisa que me deixou muito agoniado foi como os crimes que ocorreram em Yorkshire foram tratados pela polícia da época. As vítimas do abusador não eram escutadas, eram colocadas de lado e menosprezadas... A investigação levou anos para chegar a um resultado, todavia, é triste pensar que se a investigação fosse eficaz, muitas mulheres estariam entre nós, vivendo suas histórias. 

Além de tudo, esse livro é um tributo a elas, chega a ser emocionante a perspectiva de Una acerca desses casos. E mais do que isso, o alerta e as reflexões que surgem nesse processo de desconstrução. 

9 comentários:

  1. É um tema forte, complicado que mexe com o emocional mas que precisa ser discutido não é?

    ResponderExcluir
  2. Antes de ser um tema complicado, é uma tema mais que necessário. A mulher há anos vem sendo subjugada por essa sociedade patriarcal e acredito que esse livro possa ser uma forma inovadora de falar sobre isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, e projetos como esse mostram o quão esses diálogos e reflexões são necessários

      Excluir
  3. Eu já namoro essa Graphic tem um bom tempo, por isso foi uma alegria imensa ler sobre ela no Insta ontem.
    Descobri o peso de uma Gn bem escrita no ano passado e desde então, quero todas(mas minha pobreza não entende rs)
    O peso de ser mulher não é um campo de rosas. É uma luta diária, não somente por direitos, mas por medo( e olha que moro em cidade pequena, onde até a mente do povo é pequena)
    Adorei as ilustrações, o tema e com certeza, quero demais esse presente em mãos!
    Beijo
    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. COM CERTEZA! Estou muito surpreso com a qualidade da didática das graphics dessa editora, de verdade!

      Excluir
  4. Parece ser uma HQ simplesmente maravilhosa com um tema importante... Preciso muito ler, de verdade 🙈 Amei as fotos migo 💕

    Beijos da Steh!

    IG: @PAPEANDOSTEH

    ResponderExcluir
  5. Lindo esse trabalho! amei suas palavras quando disse que como homem não tem a real noção disso. Se todos tivessem um pouquinho desse pensamento, as mulheres teriam seu lugar de fala sempre preservado. Essa obra realmente é magnifica, apesar de eu achar um pouco pesada.

    ResponderExcluir
  6. EU AMO DEMAIS ESSA GN! É de longe a melhor da editora nemo, que inclusive carrega todo meu amor. Fiquei destruída ao terminar e até hoje não me recuperei.

    ResponderExcluir



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels