.

RESENHA: FOWARD

10 de dezembro de 2021

 


FOWARD
Autor(a):  Vários autores
Editora: Intrínseca

Páginas: 304
Ano de publicação: 2021
Compre através deste link.

Para alguns, a tecnologia é o prenúncio do fim do mundo. Para outros, é apenas o começo de uma nova era. Renomado escritor de ficção científica, autor dos best-sellers Matéria escura e Recursão, Blake Crouch convidou grandes nomes da literatura contemporânea para traçar histórias audaciosas que mergulham nos desdobramentos que os avanços tecnológicos acarretam à humanidade. Em “Summer Frost”, Crouch traz uma trama marcante que desafia nossa noção de humanidade enquanto assistimos à obsessão de uma programadora de videogames por uma de suas personagens. “Pele de emergência”, de N. K. Jemisin, explora a missão de um soldado em visita a uma Terra abandonada. Uma viagem potencialmente sem volta, mas pelos motivos mais inesperados. Em “Arca”, Veronica Roth mostra o poder das lembranças, que, quando coletadas e reunidas, são capazes de revelar o passado e também ajudam a construir o futuro. Amor Towles surpreende em “Você chegou ao seu destino” ao mergulhar na manipulação genética quando um casal se vê diante da possibilidade de decidir a trajetória de seu futuro bebê. “A última conversa”, de Paul Tremblay, é uma narrativa repleta de suspense que nos faz questionar os limites da consciência e de nossa identidade. Já “Randomizando”, de Andy Weir, fecha a obra com uma história eletrizante envolvendo cassinos, hackers e computação quântica. De potência criativa memorável, os contos desta coletânea se pautam em temas diversos, como inteligência artificial, colonização de outros planetas, engenharia genética e programação, para nos fazer encarar o que há de mais brutal e profundamente humano em nós e em nossa sociedade. Imersos em tamanhos medos, paixões, sonhos e ambições, vem à tona a complexidade de se estabelecer limites e de realizar escolhas diante da busca pelo futuro que desejamos.


Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro Foward lançado pela editora Intrínseca. O livro é de autoria de Vários autores e a resenha foi escrita por Leonardo Santos. 



Blake Crouch com certeza se tornou um dos nomes mais influentes sobre literatura de ficção científica contemporânea. A editora Intrínseca já trouxe dois de seus títulos para o catálogo da editora (inclusive o incrível Recursão, cuja resenha  pode ser lida aqui no blog). Desde quando li seu último lançamento, fiquei sedento para ler mais coisas do autor, por isso Foward se tornou uma das minhas leituras mais antecipadas para esse final de ano.

Fiquei ainda mais contente ao ver que o livro se tratava de uma coletânea de contos tecidos por autoras e autores brilhantes, incluindo N.K. Jemisin, Veronica Roth e muito mais!

Comecei por Summer Frost, conto do Blake (que abre o livro), onde conhecemos Riley, uma engenheira de tecnologia que está criando uma IA chamada Max para compor seu jogo, mas na medida que o algoritmo vai sendo criado, Max parece criar uma consciência muito mais poderosa do que prevista. 



A proposta parece ser simples, mas Blake consegue desenvolvê-la de uma forma absurdamente boa! Principalmente levando em conta que um conto geralmente não traz um conflito muito intenso por conta de sua duração, eu fiquei surpreso e tenso em diversos momentos da narrativa, afinal, será que a tecnologia está indo longe demais? Será que nos tornaremos obsoletos em breve? 

O segundo conto, intitulado Pele de Emergência é da incrível N.K. Jemisin. Eu simplesmente AMO essa autora e estou doido para ler uma outra saga de livros dela, mas enfim, além de ser mega premiada, a escrita de Jemisin é completamente única (e muito envolvente também).

 Em seu conto nós acompanhamos uma IA que está em uma missão em um outro planeta. Seu objetivo é encontrar um objeto que será capaz de impedir o apocalipse em seu mundo-natal. Conforme já é de praxe, além de uma narrativa deliciosa, a autora tece um plano crítico e social para sua obra, ao apontar temáticas extremamente importantes em sua história - como o racismo. 



Entre sociedades em extinção e programas bizarros e mapeamento genético, Foward explora o melhor da ficção científica em seu nível mais experimental e futurista possível. A curadoria de Blake foi muito precisa em trazer autoras e autores que tem uma visão única - e conseguem passar isso para suas histórias. Além disso o livro é bem plural e funciona como se olhássemos através de um prisma, tendo assim várias perspectivas do quanto o futuro pode ser brilhante e também assombroso!


Já com relação a edição... ela está perfeita! Feita em capa dura e com um aspecto brilhante, eu AMEI o tom de roxo e como as cores se casam, sério, a editora Intrínseca está de parabéns! Confiram essa edição em alguma livraria, pois com certeza ela chama muito a atenção!

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: O RETRATO DE DORIAN GRAY

NOVIDADES PARA 2022

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels