24 de dezembro de 2021

RESENHA: A ODISSEIA DE PENÉLOPE

 

A ODISSEIA DE PENÉLOPE

Autor(a): Margaret Atwood
Editora: Rocco

Páginas: 128
Ano de publicação: 2020
Compre através deste link.

"Agora que todos os outros perderam o fôlego, é minha vez de fazer meu relato.” Na Odisseia de Homero, Penélope – mulher de Odisseu e prima da bela Helena de Troia – é retratada como a esposa fiel por excelência, e sua história é tida como um exemplo de fidelidade e da obediência feminina ao longo dos tempos. Deixada sozinha por vinte anos, quando Odisseu sai para lutar na Guerra de Troia após o sequestro de Helena, Penélope consegue, em meio a rumores escandalosos, assegurar o reino de Ítaca, criar Telêmaco, seu filho rebelde, e manter distância de mais de cem pretendentes. Quando Odisseu finalmente chega em casa, após sobreviver aos desafios do mar Egeu, vencer monstros horripilantes e dormir com deusas, ele mata todos os pretendentes de sua esposa – e, de maneira ainda mais espantosa, doze de suas criadas. Em uma surpreendente releitura contemporânea de uma das maiores obras da Antiguidade, Margaret Atwood decide dar voz a Penélope e suas doze criadas enforcadas para responder duas grandes perguntas: Qual o real motivo dos enforcamentos? E o que Penélope estava realmente planejando?Ao reimaginar o episódio, a autora se utilizou de várias fontes – já que a Odisseia de Homero não é a única versão da história – para criar uma obra ao mesmo tempo inteligente, bem-humorada e reflexiva. Em A odisseia de Penélope, Atwood subverte a narrativa original e concede a sua heroína uma nova vida e realidade, e se propõe a dar uma resposta a um antigo mistério.

Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro A odisseia de Penélope, lançado pela Editora Rocco. O livro é de autoria de Margaret Atwood.  








Em "A odisseia de Penélope" nós contemplamos uma releitura de uma das jornadas mais famosas da  literatura: a de Odisseu na guerra de Tróia. Muitos de vocês devem conhecer a jornada do herói em A odisseia,

Sendo um dos textos mais antigos e valorizados no ocidente, A odisseia de Homero traz o período helênico em seu primor. Uma guerra se espalha pela capital do mundo no momento em que Helena é capturada. Assim, Odisseu - o rei de Ítaca - parte em uma jornada para recuperar Helena, deixando sua mulher, Penélope, sozinha para governar um reino do qual pouco conhece. 


No texto antigo nós vislumbramos pouco a respeito de Penélope. Sabemos que a mulher aguarda o seu marido e que sua postura paciente e sempre submissa a Odisseu a faz esperar durante duas décadas pelo rei, enquanto neste período ela exercia seu papel de mãe e se desvencilhava dos pretendentes que cruzavam seu caminho. 

Tendo essas pouquíssimas informações a respeito da rainha de Ítaca, Margaret Atwood desenvolve sua narrativa para dar luz a figura de Penélope em uma narrativa de mistura tanto do estilo clássico de escrita (em versos métricos e declarados) e o estilo contemporâneo (a prosa, o texto em romance como conhecemos) para repaginar o trabalho de Homero da forma mais autoral possível... E o resultado não poderia ser melhor. 

Em "A odisseia de Penélope" nós temos uma narradora em primeira pessoa, Penélope nos dá detalhes sobre sua vida até o momento em que casa-se com Odisseu aos quinze anos e se muda para seu reino à beira mar. Entre os capítulos de Penélope nós temos as interlocuções das escravas que servem a Penélope, suas vozes são colocadas nos cânticos de uma forma bem interessante. 

Isso porque toda a escrita da autora é mergulhada em um tom próprio da autora, que denuncia o sexismo presente nas obras clássicas de forma bem objetiva. Além disso, a ambientação é incrível, Atwood de fato nos propícia uma viagem no tempo através dos olhos de Penélope e o resultado não poderia ser melhor. 


Explorando a mitologia de uma forma inusitada, este fragmento repaginado da Odisseia foi responsável por me proporcionar uma ótima leitura! Confie na habilidade de escrita de Atwood e leia sem medo!
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leonardo Santos



Olá leitories! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 28 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Guarulhos cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

Equipe do Porão

.

Caixa de Busca

Instagram

Destaque

TRÊS MOTIVOS PARA LER "EM BUSCA DO REINO"

Olá pessoal do Porão Literário! Hoje vou compartilhar com vocês três motivos para ler Em busca do reino, de Reyves L.B. 

Arquivos

LITERATURA E MÚSICA

LITERATURA E MÚSICA

Posts Populares

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Receba as novidades

Tecnologia do Blogger.

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!