30 de janeiro de 2024

RESENHA: RAÇA, NAÇÃO, CLASSE

 


Organizadores:  Étienne Balibar e Immanuel Wallerstein 
Editora: Boitempo
Páginas: 429
Ano de publicação: 2023
Compre através deste link.

Lançado originalmente há trinta anos e publicado no Brasil pela primeira vez, Raça, nação, classe traz ao leitor um profícuo debate sobre o racismo e sua relação com a luta de classes, o capitalismo e o nacionalismo. Como é possível que o racismo ainda seja um fenômeno crescente? Quais são as características específicas do racismo contemporâneo?Esta obra tenta responder a essas perguntas fundamentais por meio de um diálogo entre o filósofo francês Étienne Balibar e o historiador e sociólogo estadunidense Immanuel Wallerstein. Ambos os autores desafiam a noção de que o racismo é uma continuação ou um retorno da xenofobia de sociedades do passado e o analisam como uma relação social indissoluvelmente ligada às estruturas sociais atuais – o Estado, a divisão do trabalho e a divisão entre centro e periferia – que são constantemente reconstruídas.

 

Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro Raça, nação, classe: As identidades ambíguas lançado pela editora Boitempo. O livro é de autoria de Étienne Balibar e Immanuel Wallerstein e a resenha foi escrita por Leonardo Santos.


"Raça, Nação, Classe: As Identidades Ambíguas" traz uma crítica que desvela as intrincadas relações entre racismo, luta de classes, capitalismo e nacionalismo, lançando luz sobre questões prementes da sociedade contemporânea. Escrito por dois renomados intelectuais, o filósofo francês Étienne Balibar e o historiador e sociólogo estadunidense Immanuel Wallerstein, o livro transcende a mera análise acadêmica, pois oferece uma lente poderosa para compreender a complexa teia de poder, identidade e dominação que molda nossa era.

Publicado originalmente há trinta anos e agora disponível no Brasil, a obra permanece tão atual e relevante quanto na época de sua primeira edição. Sua importância social é evidente à medida que aborda uma pergunta central e desconcertante: por que, em um mundo globalizado e aparentemente progressista, o racismo continua a prosperar? Essa indagação essencial é a base para uma análise profunda e provocativa que transcende as respostas simplistas e exige uma compreensão mais profunda das estruturas sociais que perpetuam o racismo.


Uma das contribuições mais notáveis deste livro é a forma como Balibar e Wallerstein abordam o racismo como algo mais do que meros preconceitos individuais. Eles o enxergam como uma relação social intrincada, profundamente entrelaçada com o funcionamento do capitalismo contemporâneo e com a divisão global do trabalho. Essa perspectiva não apenas desafia a visão limitada do racismo como uma questão cultural, mas também aponta para a necessidade de confrontar o racismo em conjunto com a luta contra o capitalismo e a exploração de classe. O livro, assim, oferece uma abordagem holística para entender e combater o racismo.

Além disso, "Raça, Nação, Classe" destaca a modernidade do racismo, demonstrando que ele não é uma manifestação do passado, mas sim um fenômeno em constante mutação e adaptação às mudanças nas estruturas sociais. Os autores examinam como o racismo está intrinsecamente ligado ao conceito de Estado-nação e como o nacionalismo e o chauvinismo podem ser explorados para perpetuar o poder e a hierarquia.

A importância social desta obra não se limita à sua análise perspicaz. Balibar e Wallerstein são figuras proeminentes em seus respectivos campos e têm contribuído significativamente para a teoria social e política. Étienne Balibar é amplamente reconhecido por suas contribuições à filosofia política e à teoria crítica, especialmente em relação à questão da cidadania e da identidade. Immanuel Wallerstein, por sua vez, é um dos principais teóricos do sistema mundo, cujo trabalho tem influenciado significativamente os estudos sobre globalização, economia política e desigualdade global.


Esse livro transcende as fronteiras da academia e oferece uma análise profunda e essencial das questões cruciais que afetam nossa sociedade. Este livro é uma ferramenta vital para acadêmicos, pesquisadores e todos aqueles que desejam compreender as raízes e as manifestações do racismo na sociedade contemporânea. 

Ao confrontar as complexidades do racismo e suas interseções com a política, a economia e a identidade, Balibar e Wallerstein nos convidam a refletir profundamente sobre as questões prementes do nosso tempo e a buscar soluções eficazes para enfrentar esse desafio persistente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leonardo Santos



Olá leitories! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 28 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Guarulhos cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

Equipe do Porão

.

Caixa de Busca

Instagram

Destaque

TRÊS MOTIVOS PARA LER "OS SETE CÉUS"

Olá pessoal do Porão Literário! Hoje vou compartilhar com vocês três motivos para ler  Os sete céus: O chorar dos anjos, livro 1, de Viniciu...

Arquivos

LITERATURA E MÚSICA

LITERATURA E MÚSICA

Posts Populares

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Receba as novidades

Tecnologia do Blogger.

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!