.

RESENHA: O LABIRINTO DO FAUNO

20 de agosto de 2019


O Labirinto do Fauno
Autores:  Guillermo del Toro &  Cornelia Funke

Editora:
 Intrínseca
Páginas
: 310
Resenha escrita por:
 Leonardo Santos


No ano de 1944, Ofélia e a mãe cruzam uma estrada de terra que corta uma floresta longínqua ao norte da Espanha, um lugar que guarda histórias já esquecidas pelos homens. O novo lar é um moinho de vento tomado pela escuridão e pela crueldade do capitão Vidal e seus soldados, dispostos a tudo para exterminar os rebeldes que se escondem na mata.
Mas o que eles não sabem é que a floresta que tanto odeiam também abriga criaturas mágicas e poderosas, habitantes de um reino subterrâneo repleto de encantos e horrores, súditos em busca de sua princesa há muito perdida. Uma princesa que, segundo os sussurros das árvores, finalmente retornou ao lar
No livro, a narrativa de Ofélia é intercalada com ilustrações e contos de fadas inéditos, baseados em elementos-chave de O Labirinto do Fauno. A obra é uma impactante ode ao poder das histórias, seja em imagens ou palavras, e a sua capacidade de transformar a realidade a nossa volta.


Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Confesso que estou no período de ressaca literária e ela tem tudo a ver com o livro cuja resenha está logo abaixo, pois é, O Labirinto do Fauno! Escrito por Guillermo del Toro & Cornelia Funke. O livro foi inspirado no filme de sucesso de 2006! E agora, treze anos depois, ganha uma narrativa em prosa para ampliar ainda mais a mitologia incrível criada por Guillermo. O livro foi publicado no Brasil pela Editora Intrínseca, vamos lá?


O ano é 1944, oficialmente a Guerra Civil na Espanha já chegou ao seu fim, entretanto um grupo de rebeldes ainda ocupa as florestas de Navarra na intenção de liberdade. Florestas essas que são cenário para uma nova aventura de Ofélia e sua mãe, Carmen, que está prestes a dar a luz. Ofélia se encontra tensa, isso porque o destino que o carro que leva as duas não é nada agradável para a jovem, sua mãe se casara e agora ambas iriam morar com o temido capital Ernesto Vidal. 

Vidal é uma figura que causa medo a todos habitantes da pequena vila, o homem tem como objetivo se livrar de todos aqueles que se colocarem contra seu regime fascista, Ofélia o vê apelida de O Lobo, demonstrando assim seu temor mediante ao homem, entretanto a presença de Vidal não é o que mais chama a atenção de Ofélia, e sim a presença de uma fada, que parece pedir, entre gritinhos incompreensíveis, para que a garota a siga em direção a um labirinto que se dispõe do lado do quartel do capitão. 

Ofélia e atraída para o labirinto, e lá todos os contos de fadas que se falecido pai outrora contara a menina ganham realidade, a figura do Fauno se apresenta à Ofélia com uma chocante revelação, a menina seria a reencarnação da princesa Moanna, mas para ter acesso ao seu reino terá que passar por três provas. 

Entrementes, o conflito entre rebeldes e fascistas continua a render mortos dos dois lados, é nisso que conhecemos Mercedes e dr. Ferreiros, ambos trabalham para o capitão Vidal, mas guardam um segredo que pode matá-los a qualquer instante. 

Dado a história, vamos a crítica! O Labirinto do Fauno sempre foi um dos meus filmes preferidos pela intensidade que a história apresente, além de ser grande fã do Guillermo del Toro, toda a mitologia do Fauno sempre me conquistou justamente pelo tom adulto dado a fábula, Ofélia se caracteriza como uma personagem forte e valente, conhecedora de contos e fábulas a menina possui um raciocínio muito ágil e maduro para sua idade. Além disso temos o cenário político que se desenvolve ao redor das montanhas de Navarra, onde o regime fascista se instaurou na Espanha e causou muita miséria ao país. Nele temos os guerrilheiros que batalham contra o sistema durante esse período tão conturbado da história. 

A junção do teor político com o fantástico foi o que mais me impressionou no filme e agora no livro! No começo não sabia muito bem o que esperar da leitura do livro (por já conhecer sua história achei que ia ficar meio chato e previsível), mas fui completamente surpreendido pela capacidade da autora Cornelia Funke em nos prender com uma história já conhecida. A capacidade de Cornélia para narrar contos e fábulas já tinha sido provada na trilogia Mundo de Tinta (que é uma das minhas preferidas!), mas aqui sua fluidez em nos oferecer mais sobre os personagens que já conhecemos é o ponto forte da leitura, os eventos se atém ao mesmo do filme, mas  Cornelia entra na mente dos personagens e os deixa ainda mais profundos, seja por suas motivações ou temores, me senti lendo um material completamente novo. 

Falando em material novo, além da história que já (achamos) conhecer, Cornélia nos presenteia com dez contos que trazem um pouco da mitologia do Mundo Subterrâneo. Esses contos nos ajuda a entender mais sobre a magia que prevalece no local e o porquê de alguns personagens agirem como agem, pra mim essa foi a melhor sacada que tanto ela como o Guillermo poderiam ter! Trazer um conteúdo novo que ajuda a ampliar a mitologia dessa narrativa foi o que me motivou a ler ainda mais avidamente. 

Li as trezentas páginas de um dia pro outro, isso vai muito também por conta da edição extremamente caprichada que a Intrínseca preparou pra gente, com direito a capa dura, filete e uma arte de dar inveja a muitos diagramadores, a edição de O Labirinto do Fauno chama a atenção e te hipnotiza desde quando pegamos pela primeira vez! E as artes incríveis não estão só na capa, mas durante toda a leitura! Isso me fez mergulhar na história com muito mais facilidade e a partir daí eu juro que não vi as páginas se virando, de verdade! 

No geral eu simplesmente AMEI  essa leitura e já consigo colocá-la como uma das melhores do ano. Creio que esse seja um livro do qual eu irei guardar para sempre e hora ou outra irei pegar da estante para dar uma lida em algum conto ou trecho.

8 comentários:

  1. Foi uma inovação juntar o político com o universo fantástico... Na verdade, uma puta sacada! Se compararmos ao momento atual, encontraremos várias repetições na vida real.

    ResponderExcluir
  2. Tudo pode envolver Política, né? É na literatura, mesmo fantástica, não seria diferente. Ainda não conheço a história, não vi o filme e nem li o livro, mas é bom ter a tua referência positiva. Vou anotar a dica!

    ResponderExcluir
  3. Quando eu soube sobre esse livro eu quase surtei. Eu amo muito o filme e todo aquele tema que ele retrata, então a vontade de ler também é muito grande. Amei o post

    ResponderExcluir
  4. Eu não vi o filme (depois do teu texto irei corrigir isto) e fiquei com muita vontade de ler o livro.

    ResponderExcluir
  5. Eu adoro.o filme é agora quero.ler.o livro.

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li, não é um tema que me apaixone muito, mas tenho uma amiga louca pela filme :) Tem todo o merchandise possível e imaginário !!!

    ResponderExcluir
  7. Olá,

    Ual, amei sua resenha, dá pra realmente sentir o quanto amou a leitura e me inspirou a ler também.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá! Olha, me sinto mt estranha, porque eu nunca tive interesse de ver o filme. Nunca bateu aquela vontaaaaaade, sabe? Mas o livro me encantou a ler. Acho que pela linda capa. E sua resenha me deixou com vontade de ler. Parabéns. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels