.

RESENHA: A ÚLTIMA FESTA

2 de junho de 2020

A última festa

A ÚLTIMA FESTA
Autor(a): Lucy Foley
Editora: Intrínseca

Páginas: 304
Ano de publicação: 2020
Compre através deste link.

Programado para acontecer em um cenário idílico, o réveillon que Miranda, Katie e os outros amigos que conheceram na faculdade passarão juntos este ano promete refeições deliciosas regadas a champanhe, música, jogos e conversas descontraídas.
No entanto, as tensões começam já na viagem de trem — o grupo não tem mais nada em comum além de um passado de convivência, feridas jamais cicatrizadas e segredos potencialmente destrutivos.
E então, em meio à grande festa da última noite do ano, o fio que os mantém unidos enfim arrebenta. No dia seguinte, alguém está morto e uma forte nevasca impede a vinda do resgate. Ninguém pode entrar. Ninguém pode sair. Nem o assassino.
Contada em flashbacks a partir das perspectivas dos vários personagens, a história deste malfadado encontro é um daqueles mistérios de assassinato cheio de tensão e de ritmo perfeito. Com uma trama assustadora e brilhantemente construída, A última festa planta no leitor a semente da dúvida: será que velhos amigos são sempre os melhores amigos?

Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro A Última Festa, lançado pela Intrínseca. O livro é de autoria de Lucy Foley e tem tradução de Marina Vargas

A comemoração de ano novo para Emma, Miranda, Katy e seus outros seis amigos tem tudo pra ser inesquecível, isso porque Emma reservou um hotel de luxo para reunir os nove amigos em um lugar perfeito! Localizado nas terras altas escocesas, o hotel é afastado de tudo e de todos, o que pode ser bom para o antigo grupo de amigos recuperar os laços que perderam desde quando se graduaram, anos atrás. 

No entanto, pode-se perceber um clima estranho desde o começo da viagem, uma certa tensão que ninguém sabe da onde surge ou quem está a criando. Conforme a convivência vai se ampliando e a noite de réveillon se aproxima, as intrigas vão crescendo... Horas após os fogos serem queimados, um assassinato é cometido.



Após o assassinato, uma forte nevasca atinge a região do hotel tornando a área ao redor completamente ilhada. Presos ali e esperando a polícia chegar, a desconfiança tornar-se inevitável, afinal, existe um assassino entre eles. 

Bom galera, vamos então a minha opinião. Como vocês puderam ver na sinopse, o livro gira naquele enredo que thriller já conhecido por muitos: Um homicídio foi cometido, logo, a história irá girar em torno de descobrir quem foi que matou pessoa x. Em uma trama como essa, é normal o(a) escritor(a) colocar vários personagens em conflito com a pessoa que foi morta justamente pra gerar uma dúvida do leitor em tentar deduzir quem é o assassino, mas essa tática funciona bem quando sabemos desde o início da história quem morreu. 

É aí que A Última Festa de diferencia desse método Agatha Christie, isso porque nós só descobrimos que morre no final da história! Confesso que no começo da história fiquei nervoso porque o tal assassinato não tinha acontecido ainda, e isso me motivou a ir devorando as páginas em busca do que, eu pensava, que seria o início da trama, quando cheguei no meio da narrativa pensei que não teria respostas tão cedo, mas na verdade eu tive. 


Isso porque a autora vai dando várias dicas de quem será a vítima daquele grupo, uma hora eu achei que ela deu dicas até demais, tanto é que eu descobri quem iria morrer bem na metade. Com relação a essa descoberta eu achei tranquilo a autora nos entregar de forma "fácil", no entanto fica bem fácil de descobrir quem matou o personagem e o porquê antes da conclusão, e isso enfraqueceu e MUITO o final da história (pra mim). 

Além disso, um outro ponto um tanto negativo que eu preciso frisar é a quantidade de personagens pra história. Temos nove amigos que vão ao hotel, dois outros hóspedes que estão lá e três funcionários! Nesse total de 14 personagens, o livro explora o ponto de vista de 5 deles (sendo três pessoas do grupo e dois funcionários do hotel), já é possível de se imaginar que muitos personagens não ganham a profundidade que merecem para ser considerados os vilões da história, né? Com isso fica mais fácil simplesmente "eliminar" alguns personagens da sua lista de suspeitos. 

Tirando esses dois fatores, com certeza a história de A Última Festa me pegou, li de um dia pro outro suas trezentas páginas e não senti cansado da leitura em momento algum, e mesmo já esperando um final (que se concretizou), queria ver como a autora iria construir o clímax. Esse, portanto, funciona bem na história toda, não ocorreu de forma corrida (como eu achei que iria acontecer) e é completamente plausível com a história.

Enfim, no geral eu achei uma leitura bem gostosa de fazer, mesmo achando previsível em alguns pontos e com um número de personagens exagerados. Pra quem busca um thriller que te prenda do início ao fim, acredito que A Última Festa seja mais do que apropriado! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: CHERRY - INOCÊNCIA PERDIDA

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels