.

LANÇAMENTO DO LIVRO: ELAS EM LEGÍTIMA DEFESA

18 de agosto de 2020



“entende-se em legítima defesa quem, usando moderadamente dos meios necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem” Artigo 25 do código penal brasileiro. 

Fala galera do Porão Literário, tudo bem? Hoje trago pra vocês um projeto bem importante e relevante para discussão. Em um país onde se mata até de treze assassinatos de mulheres por dia (dados de 2017), a pesquisadora Sara Stopazzolli trouxe para o mercado editorial uma série de relatos de mulheres que precisaram cometer o assassinato de seus maridos em legítima defesa.

Vítimas de violência doméstica e contínua agressão física e psicológica, essas mulheres relatam suas histórias em "Elas em Legítima Defesa: Elas sobreviveram para contar',  o livro está sendo vendido em seu formato digital pelo valor de R$9,90! É importante avisar que toda a renda acumulada durante os três primeiros meses serão repassados para ONGs em apoio a reabilitação e proteção as mulheres vítimas de violência doméstica. Mais detalhes sobre o enredo do importante livro abaixo: 

Elas sobreviveram para contar, de Sara Stopazzolli, é uma jornada de empatia e compreensão que dá voz às mulheres vítimas de violência obrigadas a matar seus companheiros em legítima defesa. O livro acompanha as histórias reais de Nice, Soraia, Deise, Doralice, Emília e Úrsula, mulheres envolvidas em relacionamentos abusivos e capturadas no horror da violência doméstica — situações dramáticas que atingem milhões de mulheres no Brasil todos os dias. 
Elas em Legítima Defesa é lançado exclusivamente em e-book. Durante os três primeiros meses, ele custará R$ 9,90, com 100% das vendas revertidas para a Associação de Mulheres com Atitude e Compromisso Social (AMAC), ONG de Duque de Caxias (RJ) que atua desde 2010  no trabalho de acolhimento e apoio às mulheres e famílias vítimas de violência doméstica. Criada por Nil Santos - ela mesma vítima de violência por quase dez anos - , a ONG surgiu com o objetivo de ajudar outras mulheres a saírem deste mesmo ciclo, o primeiro passo de um importante processo que é a quebra do silêncio de muitas mulheres. Através de diversos projetos a AMAC tem realizado um trabalho de promoção, participação em ações de fomento, debate e informação sobre a violência doméstica e suas múltiplas formas.  Trecho retirado do DarkBlog da Editora DarkSide, confira na íntegra aqui 

Compre o link através deste link. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: CHERRY - INOCÊNCIA PERDIDA

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels