.

RESENHA: H. H. HOLMES MALIGNO

18 de setembro de 2020

111-o-colecionador

H.H. HOLMES MALIGNO
Autor(a): 
 Harold Schechter
Editora: DarkSide Books
Páginas: 420
Ano de publicação: 2020
Compre através deste link.

Em H. H. Holmes: Maligno – O assassino da cidade branca, Harold Schechter, escritor norte-americano de True Crime e especializado no estudo de assassinos em série, constrói um cuidadoso perfil do homem que, à época, foi considerado o mais pérfido dos Estados Unidos. Para angariar dinheiro e poder, e dar vazão a seus diversos golpes e truques, o ambicioso Holmes pavimentou uma trilha de horror com inúmeras vítimas, de crianças a idosos. Holmes confessou 27 assassinatos, mas muitos mais podem estar em sua conta. Ele construiu um hotel para a Feira Mundial de Chicago, evento criado para celebrar os quatrocentos anos da chegada de Colombo à América. A edificação era um labirinto de portas e alçapões, com armadilhas em diversos cômodos. Neste local, presume-se que Holmes pode ter matado um número muito grande de pessoas que iam à cidade para o evento. A crueldade calculada de construir um hotel infernal com mais de cem quartos para matar já seria suficiente para garantir o lugar de Holmes na história do crime, mas ainda há uma série de golpes, esquemas, múltiplos casamentos e mais assassinatos a sangue frio.
Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro H. H. Holmes: Maligno – O assassino da cidade branca, lançado pela editora DarkSide Books. O livro é de autoria de Harold Schechter, e tem tradução de Eduardo Alves. 




Herman Webster Mudgett ganhou notoriedade nos Estados Unidos no final do século XIX por motivos não muito... convencionais. Conhecido como H. H. Holmes, o homem marcou a história por ser considerado um dos primeiros assassinos em série dos Estados Unidos.

 A história do homem é narrada através da pesquisa extremamente apurada do autor Harold Schechter, e é através de seu olhar que conhecemos o histórico e os absurdos que rondam os crimes de Holmes. Conhecido como um cavalheiro com bons estudos, Holmes se formou em medicina na faculdade de Michigan, entretanto sempre foi mais voltado pros negócios. 


Dono de uma retórica impecável, Holmes parecia exercer um grande poder nas pessoas ao redor pelo seu carisma, foi com isso (associado a uma aparência atraente) que ele conseguiu  seu emprego em uma pequena farmácia, comprando-a alguns meses depois. 

"Com o peso pouco abaixo dos 68kg e altura de 1,70m. ele tinha postura ereta e máscula, e se movia com graça silenciosa. Seus olhos eram azuis e, o cabelo - que aparecia nas têmporas por baixo da aba do elegante chapéu fedora - castanho-avermelhado e sedoso"

A ascensão do rapaz que tinha acabado de chegar em Chicago foi bem rápida, logo ele começou a juntar uma grande quantia de dinheiro, casou-se e então começou a construir uma mansão em uma esquina de Chicago. 


História normal? Pois bem, vamos aos detalhes... 

Durante seu tempo na faculdade, Holmes costumava fazer testes nos corpos que chegavam, distorcendo os membros das pessoas por pura curiosidade. Depois que mudou-se pra Chicago e conseguiu o cargo na enfermaria, não demorou muito para o dono do local morrer sob circunstâncias estranhas, assim, a mulher dele (e também proprietária) vendeu a farmácia para o funcionário. Com esse dinheiro, o rapaz começou a construir uma mansão extremamente curiosa. 

Isso porque além de gigante, a propriedade foi construída com um sigilo absoluto, toda a arquitetura era estranha porque alguns corredores pareciam não dar em nenhum lugar específico, chaminés saíam de lugares estranhos... 

O local ficou conhecido alguns anos depois como Castelo dos Horrores! Já que Holmes utilizava o local para matar diversas vítimas, desfigurar seus corpos e vender seus esqueletos para universidades e etc. Enquanto a primeira esposa de Holmes? Levou o mesmo destino de inúmeras de suas vítimas. 


Bom, esses são apenas alguns detalhes dessa sórdida edição! A história de Holmes me surpreendeu principalmente pela capacidade do homem de manipulação e crueldade. O trajeto traçado pelo autor nos leva a "entender" mais a forma como Holmes agia. 

"Se Holmes era louco, porém, ele era do tipo que executava suas compulsões de forma muito metódica"

Além de cobrir os eventos que tornaram o homem tão famoso no país, o livro também percorre o seu julgamento e toda a façanha que foi para comprovar que ele realmente tinha cometido alguns dos crimes dos quais tinha sido acusado. Além de retratar o perfil de Holmes, o livro nos oferece um panorama daquela sociedade americana do final do século XIX. 

"Pois Holmes não foi apenas o assassino em série origina dos Estados Unidos. Ele foi o primeiro psicopata da história, cuja identidade era conhecida, a se tornar uma celebridade."

Enfim, estava bem curioso pra ver como o autor ia trabalhar com um assassino do século XIX na linha profile, mas a pesquisa é tão bem feita e os atos são tão macabros que eu entendi o porquê da DarkSide ter trago esse livro para seu catálogo da CrimeScene! Indicadíssimo! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: SEGUNDA FUNDAÇÃO

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels