.

RESENHA: A ROSA MAIS VERMELHA DESABROCHA

30 de maio de 2021

A ROSA MAIS VERMELHA DESABROCHA
Autor(a): Liv Strömquist
Editora: CIA dos quadrinhos

Páginas: 176
Ano de publicação: 2021
Compre através deste link.

Podemos controlar o amor? O que realmente acontece quando ele acaba? Como o amor deixou de ser considerado uma força misteriosa para se tornar algo racionalmente explicável? Por que procuramos ser mais amados do que amar? Com muito humor e inteligência, e o título emprestado de um verso da poeta norte-americana Hilda Doolittle, A rosa mais vermelha desabrocha examina as engrenagens do amor nos tempos do capitalismo tardio. A partir de histórias como a de Sócrates, que traiu Alcibíades há mais de dois mil anos, ou a de Teseu, que abandonou a amada Ariadne de uma hora para outra na ilha de Naxos, e com a ajuda de Beyoncé, do filósofo Sören Kierkegaard, dos smurfs, da namorada alucinada de Lorde Byron, de Platão, de Jabba de Star Wars, e de outros especialistas na arte de amar, a artista sueca Liv Strömquist mais uma vez desconstrói mitos e se afirma como uma das quadrinistas mais relevantes da atualidade.

Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje a resenha é do livro A rosa mais vermelha desabrocha lançado pela editora Companhia das Letras. O livro é de autoria de Liv Strömquist.



A rosa mais vermelha desabrocha: o amor nos tempos do capitalismo tardio ou por que as pessoas se apaixonam tão raramente hoje em dia evoca e discute exatamente àquilo que o longo título da obra se propõe a fazer: uma análise a respeito de como deixamos a contemporaneidade atingir a forma como nos relacionamos com outras pessoas.

 

Liv Strömquist é uma quadrinista de mão cheia, isso fica bem aparente ao começarmos a leitura do exemplar, sendo que este já é seu quarto trabalho publicado pela Companhia das Letras através do selo "Quadrinhos na CIA" - sendo um de seus mais famosos a HQ "A origem do mundo". Bom, nessa sua história a autora inicia a discussão com um exemplo bem interesse e até mesmo cômico: a vida amorosa de Leonardo DiCaprio.

DiCaprio aparentemente tem uma vida amorosa bem corrida, visto que é bem comum vê-lo com uma parceira diferente em uma frequência até mesmo assustadora, essas mulheres tem geralmente metade da idade do astro de cinema e é a partir desses pontos que Liv se pergunta: entramos em um relacionamento para valorizar e amar o outro ou para massagearmos nosso próprio ego?


Além disso, a autora coloca uma série de outros questionamentos que mostram como a nossa cultura de consumo em massa e imediatismo do prazer nos torna tão dependentes de um novo estilo de relacionamento narcisista que acaba mais glorificando o próprio eu do que a união com o outro. 


Liv consegue evidenciar todos os pontos de uma forma muito precisa, nos levando a uma viagem pelo tempo e pelo espaço para teorizar sua percepção a respeito do relacionamento contemporâneo. Sua leitura não chega a ser pessimista, mas ela é bem crua no que diz respeito a forma como tratamos um relacionamento como um produto, que caso venha com algum "defeito" nós simplesmente enviamos para a "troca", todos esses termos são explorados mais a fundo durante a leitura. 

Eu gostei MUITO dessa leitura, ao receber o exemplar fiquei meio receoso da autora ser muito simplista em seu diálogo, apresentando apenas o senso comum a respeito de um assunto que já tomou diversas rodas de conversa ao redor do mundo, mas não! Liv explora a temática a fundo e contextualiza com exemplos bem atuais (até as músicas da Beyoncé entram). 


Já com relação a edição, eu simplesmente estou apaixonado! O material é de ótima qualidade e a diagramação está muito boa, até ajuda a aliviar um pouco a densidade do texto mais teórico que a autora coloca entre seus exemplos.
 

2 comentários:

  1. Leo!
    Tenho ficado bem orgulhosa das HQs que tem surgido no mercado, trazendo sempre assuntos importantes e aqui, bem abordado, sem romantização e de forma crua. Muito bom!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Ah como eu amo uma Graphic! Amo de todo o meu coração e não vejo a hora de poder ter essa lindeza em mãos!
    Os traços são lindíssimos e condizentes com o enredo, que deve tocar a alma de quem a lê e vê!!!
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na flor

    ResponderExcluir



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: ARSÈNE LUPIN E A ROLHA DE CRISTAL

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels