23 de setembro de 2023

RESENHA: POCO HOMBRE

 


Autor(a):  Pedro Lemebel
Editora: Companhia das Letras  
Páginas: 400
Ano de publicação: 2023
Compre através deste link.

Símbolo da resistência à ditadura militar e da dissidência sexual no Chile, Pedro Lemebel usou a vida e a escrita para confrontar e afrontar o poder instituído ― a tirania de Augusto Pinochet, o beletrismo, os bons costumes, o capitalismo ―, tornando-se uma voz fundamental da contracultura latino-americana a partir dos anos 1980. Reivindicando a transgressão como forma de potência, seus escritos conseguiram tornar visíveis as desigualdades e a marginalização de pobres, mulheres e homossexuais durante o regime militar e a incipiente democracia chilena. É na margem, na favela, na esquina da noite escura que está a verdadeira subversão.Organizada pelo crítico espanhol Ignacio Echevarría, Poco hombre reúne as melhores crônicas da produção de Lemebel ao longo de mais de duas décadas e é a porta de entrada perfeita para se conhecer um artista genial e único.

Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro Poco Hombre lançado pela editora Companhia das Letras. O livro é de autoria de  Pedro Lemebel e a resenha foi escrita por Leonardo Santos. 

A antologia "Poco Hombre" é uma obra que mergulha profundamente na mente criativa e no coração destemido de Pedro Lemebel, um dos escritores e ativistas queer mais notáveis do século XX. Organizada por Ignacio Echevarría, essa coleção é uma porta de entrada cativante para o mundo intenso e provocativo de Lemebel, oferecendo uma visão abrangente de sua produção literária ao longo de duas décadas.

Lemebel, símbolo de resistência durante a ditadura militar no Chile e voz contundente da dissidência sexual, usa a escrita como uma ferramenta de confronto e subversão contra o poder instituído. 

Neste livro, suas crônicas revelam um olhar incisivo sobre os temas mais profundos e controversos da sociedade chilena da época, desde a tirania de Pinochet até as estruturas de poder elitistas, passando pela exploração das margens da sociedade onde a verdadeira subversão reside.

O que torna "Poco Hombre" tão poderoso é a habilidade única de Lemebel de entrelaçar realidade e poesia, criando uma narrativa visceral e impactante. Suas palavras transbordam com paixão, revolta e compaixão, revelando as experiências dos marginalizados, pobres, mulheres e homossexuais que enfrentaram a opressão do regime autoritário. Sua linguagem é uma poderosa arma, revelando as desigualdades sociais e os preconceitos profundamente enraizados que muitas vezes passam despercebidos.

A seleção criteriosa feita por Ignacio Echevarría garante que o leitor tenha uma visão panorâmica da evolução literária e política de Lemebel. Cada crônica é como um raio-x da alma do autor, capturando suas reflexões sobre a vida cotidiana, o ativismo, a sexualidade e a luta pelo reconhecimento. 

Em "Poco Hombre", Lemebel transcende o papel de escritor e se torna um cronista audacioso da história recente do Chile e da luta por igualdade e liberdade. Sua coragem de enfrentar temas difíceis e sua habilidade de transformar palavras em armas de mudança o solidificam como uma voz essencial na literatura latino-americana. 

Esta antologia é uma homenagem justa a um artista genial e uma leitura indispensável para aqueles que buscam compreender as complexidades da sociedade e a importância do ativismo cultural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leonardo Santos



Olá leitories! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 28 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Guarulhos cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

Equipe do Porão

.

Caixa de Busca

Instagram

Destaque

RESENHA: OS FRÁGEIS FIOS DO PODER

Organizadores:    V. E. Schwab Editora:  Galera Record Páginas: 756 Ano de publicação: 2023 Compre através deste link. Antigamente...

Arquivos

LITERATURA E MÚSICA

LITERATURA E MÚSICA

Posts Populares

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Receba as novidades

Tecnologia do Blogger.

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!