24 de março de 2024

RESENHA: CASA-GRANDE & SENZALA

 



Organizadores: Gilberto Freyre 
Editora: Global
Páginas: 364
Ano de publicação: 2023
Compre através deste link.

Além de trazer os elementos já presentes na versão atual – texto de apresentação do sociólogo e ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso e dois cadernos iconográficos – a nova edição brinda os leitores com um conteúdo adicional especialmente produzido para ela: um posfácio escrito pela historiadora Mary Del Priore e um terceiro caderno iconográfico, o qual oferece um passeio imagético pelas obras de pintores e desenhistas que contribuíram para as diversas edições de Casa-grande & senzala publicadas ao longo de nove décadas.A pintura que estampa a capa desta nova edição é de autoria de Cícero Dias, pintor pernambucano reconhecido internacionalmente e que foi amigo de Gilberto Freyre. A obra pertence hoje ao acervo da Fundação Gilberto Freyre. É também de Cícero a famosa pintura do Engenho Noruega que vem encartada nas edições de Casa-grande & Senzala da Global Editora.Ancorado em pesquisa realizada em arquivos brasileiros e estrangeiros, Freyre construiu uma poderosa análise sobre os traços e desafios centrais da formação da sociedade brasileira. As virtudes e os vícios da colonização portuguesa no Brasil, a enorme contribuição das matrizes indígena e africana na formação da identidade nacional, tudo reconstituído a partir de uma perspectiva inovadora: lançando luzes sobre os aspectos cotidianos que estiveram presentes nas permanências e transformações de uma sociedade caracterizada pela miscigenação.Assim, a culinária, a alimentação, o vestuário, as práticas religiosas foram algumas das dimensões da vida social minuciosamente reconstituídas por Gilberto Freyre neste livro seminal que se tornou uma das mais complexas e influentes interpretações do Brasil até hoje concebidas 

Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro Casa-grande & senzala lançado pela editora Global. O livro é de autoria de Gilberto Freyre.



Antes de falar sobre a obra, neste caso acho extremamente importante falar sobre seu contexto e também sobre seu autor, Gilberto Freyre. Até porque em "Casa-grande & senzala" nós não temos um romance histórico típico que costumamos a ler para descontrair, mas sim um estudo preciso que em muito colaborou para a nossa literatura nacional. 

Gilberto Freyre foi um grande sociólogo, que entre suas diversas vertentes de estudos foi responsável por estruturar a formação do povo brasileiro com relação a identidade e também seu retrato social. São a partir dessas linhas de pensamento que "Casa-grande & Senzala" surgiu. 

O retrato é amplo, e vai desde a educação (como os brasileiros eram educados? A educação era pra todos? Existia o conceito de escola?) até fatores culturais que são ligados a uma cultura racista e misógina que predominava o mundo - tanto é que temos reflexos disso até hoje. 


Além disso temos a igreja e o estado, fundidos em um modelo estabelecido pelo sistema pós medieval que ainda estava em momentos conflituosos. Tudo isso é nos apresentado de uma forma brilhante pelo autor em suas setecentas páginas, um estudo realmente incrível e que merece todas as honras nessa resenha!

Uma das principais contribuições de Freyre é sua abordagem do "luso-tropicalismo", conceito que ressalta a miscigenação cultural e racial como uma característica distintiva da sociedade brasileira. Ele argumenta que a interação entre diferentes grupos étnicos no Brasil resultou em uma cultura única, marcada pela tolerância racial e pela fluidez nas relações sociais. Freyre rejeita a visão tradicional de que a miscigenação seria um processo degenerativo, em vez disso, ele a enxerga como uma fonte de riqueza cultural e social.

Além disso, Freyre destaca a influência da cultura africana na formação da identidade brasileira, especialmente na música, na culinária e nas práticas religiosas. Ele reconhece a contribuição dos africanos escravizados para a construção da nação brasileira e rejeita a ideia de inferioridade racial.


Publicado em 1933, o livro já foi adaptado para quadrinhos e publicado em diversos países, sendo um dos livros mais importantes para se entender as origens do nosso país, eu fiquei impressionado ao lê-lo! Minha leitura, no entanto, foi devagar e não-linear. Como faço faculdade de letras com foco na literatura brasileira e portuguesa, o material contido nessas páginas são de enorme valia, mas você não precisa ser um especialista na área para desfrutar da genialidade de Freyre, pelo contrário!

A edição está impecável, essa é uma edição comemorativa de 90 anos que foi lançada com uma nova arte e uma edição em capa dura! A Global realmente se superou ao trazer uma edição tão rica em detalhes e tão bem diagramada, estou apaixonado! 

 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leonardo Santos



Olá leitories! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 28 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Guarulhos cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

Equipe do Porão

.

Caixa de Busca

Instagram

Destaque

RESENHA: CORDÉIS — MITOS VIVOS

  Organizadores:    vt Suzumura  Editora: Independente Páginas: 185 Ano de publicação: 2024 Compre através deste link. O imaginári...

Arquivos

LITERATURA E MÚSICA

LITERATURA E MÚSICA

Posts Populares

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Receba as novidades

Tecnologia do Blogger.

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!