23 de março de 2024

RESENHA: O HOMEM DA CASA DE CHÁ

 



Organizadores:  Emma Orczy 
Editora: José Olympio
Páginas: 256
Ano de publicação: 2024
Compre através deste link.

Quando um homem desconhecido se sentou à mesa da jornalista Polly Burton em uma casa de chá, ela não esperava ouvir comentários ácidos sobre os crimes que abalam a sociedade e estampam os jornais. Mas, juntos, os dois passam a revisitar cada um deles, desde assassinatos infames a usurpadores charmosos, e de trapaças brilhantes a esquemas de manipulação fatais.Ambientado nas ruas de Londres cobertas por densa neblina, detalhes de crimes curiosos preenchem as páginas deste clássico, com vinte contos da Baronesa Emma Orczy narrados por um dos primeiros “detetives de poltrona” da literatura, o homem da casa de chá.

 

Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro O homem da casa de chá lançado pela HarperCollins Brasil. O livro é de autoria de Emma Orcz e a resenha foi escrita por Leonardo Santos.  


Ambientada no século XVIII, essa história desvela a vida do enigmático Paul de Saint-Armand, um homem comum que encontra seu destino entrelaçado com eventos históricos cruciais da Revolução Francesa — e acho que foi por isso que eu gostei de ler tanto esse livro. 

Polly Burton, uma jornalista, encontra-se em uma casa de chá em Londres quando um homem desconhecido se senta à sua mesa. Ele revela-se como um detetive aficionado por crimes e começa a discutir casos famosos, desde assassinatos a esquemas de manipulação.


Ambientado nas ruas de Londres com neblina, o homem compartilha 20 contos da Baronesa Emma Orczy, narrando crimes curiosos. Polly, inicialmente surpresa, torna-se cada vez mais envolvida nas histórias enquanto o detetive de poltrona revela detalhes intrigantes e perspicazes sobre cada caso. 

A narrativa dessa Baronesa Orczy é simplesmente hipnotizante, isso porque ela explora as complexidades psicológicas de todos os protagonistas que ocupam esses contos narrados pelo homem misterioso, principalmente suas nuances emocionais e dilemas morais enfrentados. Saint-Armand, apresentado como um observador perspicaz e, paradoxalmente, um homem comum, evoca a luta entre a preservação da ordem e a iminência das mudanças revolucionárias da qual a sociedade vigente estava passando naquela época. 


A ambientação histórica precisa e o contexto sociopolítico dão um charme extra pra narrativa, porque acabamos procurando informações extras que rondam a vida da autora e a época em que o livro foi escrito para pegar uma referência ou outra, principalmente com relação a Revolução Francesa (que eu confesso que não conheço muito). 

A influência de "O Homem da Casa de Chá" na literatura é muito maior do que eu pensei que seria, não apenas por sua contribuição ao gênero do romance histórico, mas também pela maneira como Orczy brinca com os gêneros tão impostos e tão "definido em caixas" daquela época.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leonardo Santos



Olá leitories! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 28 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Guarulhos cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

Equipe do Porão

.

Caixa de Busca

Instagram

Destaque

TRÊS MOTIVOS PARA LER "OS SETE CÉUS"

Olá pessoal do Porão Literário! Hoje vou compartilhar com vocês três motivos para ler  Os sete céus: O chorar dos anjos, livro 1, de Viniciu...

Arquivos

LITERATURA E MÚSICA

LITERATURA E MÚSICA

Posts Populares

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Receba as novidades

Tecnologia do Blogger.

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!