.

RESENHA: O HOMEM ILUSTRADO

8 de janeiro de 2021

 


O HOMEM ILUSTRADO
Autor(a): Ray Bradbury
Editora: Biblioteca Azul 

Páginas: 320
Ano de publicação: 2020
Compre através deste link.

Um homem sem nome e sem destino encontra um misterioso andarilho à beira da estrada. Sob a forma de ilustrações que se movem, as tatuagens do andarilho dão vida a cada um dos dezoito contos deste livro. O futuro, o passado e o presente navegam por histórias que formam um caleidoscópio, materializadas em gravuras marcadas na pele de um antigo trabalhador de circo. Em O homem ilustrado estão contos marcantes que inspiraram gerações, de “Rocket Man”, sucesso de Elton John, a produções hollywoodianas como “Gravidade”, são histórias dentro de uma história, que borram as barreiras dos gêneros literários e nos fazem perguntar se é este um romance ou um livro de contos, em que a fantasia e a ficção científica dão a chance de imaginar mundos possíveis. 

Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro O homem ilustrado, lançado pela Blbioteca Azul. O livro é de autoria de Ray Bradbury e tem tradução de Eric Novello.



O homem ilustrado inicia com o encontro de dois homens que até então não se conheciam. À beira da estrada esse estranho encontro se estabelece entre o narrador e um outro homem que tem todo o seu corpo ilustrado, desde a região do pescoço até a cintura sua pele é tomada por diversas ilustrações coloridas extremamente reais, só que isso não é tudo. 

O homem diz ao narrador que suas ilustrações não são meras tatuagens, mas elas trocam de lugar e são substituídas por outras ilustrações todas as noites, e como se isso não fosse suficiente, se você focar em uma ilustração por algum tempo ela irá contar-lhe uma história. 

Essa história nada mais é do que o passado, presente ou futuro de alguém, alguma pessoa que existiu, existe ou existirá. Com isso, o narrador passa a analisar as ilustrações no corpo do Homem ilustrado... 18 contos, 18 histórias que mostram o porquê lemos Ray Bradbury até hoje. 


Gente... Comecei essa leitura sem saber o que esperar, sinceramente. Sou muito fã desse autor e pude conhecer seu trabalho de maneira mais aprofundada com a antologia de contos "Prazer em queimar" (cuja resenha você pode conferir aqui), e obviamente no seu romance mais conhecido, o Fahrenheit 451. 

Por isso só me aventurei a ler. E olha... foi a melhor coisa que eu fiz. O livro começa com esse prólogo que nos contextualiza a respeito do que estar por vir, e o primeiro conto (intitulado A savana) nos joga em um futuro digno de episódio na série Black Mirror, onde dois pais compram um quarto que serve como uma realidade virtual para seus filhos extremamente mimados e viciados em tecnologia. O final deste primeiro conto já me impactou muito, além de provocar uma série de reflexões a respeito de como usamos as ferramentas tecnológicas ao nosso redor.

Poderia falar e MUITO sobre cada um dos 18 contos que compõem esse universo, mas vou me ater a poucos para que a leitura deste livro seja uma descoberta para você igual foi pra mim! 

Dois outros contos que me surpreenderam muito foram "O Homem do Foguete" e "Marionetes S.A", em Homem do foguete temos uma família que vive sentindo falta da figura ausente do pai, um homem que faz viagens interplanetárias e desaparece por três meses várias vezes durante do ano, deixando seu filho e mulher na terra. Esse conto foi um dos mais melancólicos e bem escritos que eu já li, com um final de arrasar o coração. Um detalhe bem interessante é que esse conto inspirou a lenda da música Elton John a escrever uma de suas músicas mais famosas, Rocket Man. 

Já Marionetes S.A evoca todos os principais traços do autor: sua mistura de ficção com um traço de crítica social... A forma alucinada como a narrativa se desenvolve me pegou de surpresa, principalmente com relação ao final eletrizante!


O último conto (que dá nome ao livro) encerra bem o que Bradbury nos apresentou no decorrer de seus diversos contos. Por favor, eu preciso que vocês leiam essa coletânea para se maravilhar com a escrita desse autor incrível. Com a realidade completamente distorcida em um plano fantástico, O homem ilustrado é um daqueles livros que se integram a nossa perspectiva de leitor e nos muda para sempre. 


12 comentários:

  1. Amei sua resenha, me deixou com muita vontade de ler, vou colocar na lista de 2021. Gostei da capa também!!

    ResponderExcluir
  2. Foi impossível ontem ler a resenha desse livro no Insta e não associar a uma série(que parei rs) Ponto Cego. Onde há uma mulher repleta de tatuagens e cada uma com um significado.
    Sei que não há nada a ver, pois a série é policial rs e o livro em questão é muito sobre reflexões. Ao menos foi o que entendi!
    E com certeza, por amar contos, é um livro que se puder, quero demais ter ele em mãos!!!
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei, Angela! Sobre a série eu ouvi falar bastante dela, preciso pegar pra maratonar

      Excluir
  3. Oiiii!
    Primeiro de tudo: que capa mais linda ♥ Eu não conhecia a obra, mas fiquei bem curiosa com as suas impressões sobre a mesma, ainda mais por se tratar de um compilado de contos, eu amo contos e com certeza irei gostar dessa leitura.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Eu achei a obra muito interessante, o fato do homem ter várias tatuagens e cada uma com significados que dialogam entre si deixam a obra um tanto quanto intrigante, passado, presente e futuro! Eu estou encantada com suas palavras sobre a obra, porque ela parece realmente nos levar a grandes reflexões.

    ResponderExcluir
  5. Oi Leo!
    Que demais! Interessante é pouco para adjetivar! Já pensou que irado tatuagens com vida própria?!?

    ResponderExcluir
  6. Antologias são tudo de bom, né!? Eu amo, ainda mais para conhecer melhor a escrita do autor ou dos autores que ali se encontram... Eu não conhecia esse livro e já super adicionei na lista aqui... Arrasou nas fotos! ❤️

    Beijos da Steh!

    IG: @PAPEANDOSTEH

    ResponderExcluir
  7. Oii, Léo! Acredita que tenho Fahrenheit há décadas e ainda não li? Inclusive, estou devendo a leitura de alguma obra desse autor kkkkkk a vergonha, meu pai. Me ajuda a criar coragem!

    ResponderExcluir



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: VENHA O QUE VIER

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels