.

RESENHA: A SEGUNDA AURORA

25 de dezembro de 2021

 


A SEGUNDA AURORA
Autor(a):  Juliano Righetto
Editora: Chiado

Páginas: 475
Ano de publicação: 2021
Compre através deste link.

Angel pensava que sua história com o clã de sua mãe havia ficado no passado e, após a morte de seu pai, ela passa a viver uma vida humana normal ao lado de sua tia. Mas nem sempre o destino nos ouve... Coisas estranhas começam a acontecer antes de seu aniversário e em uma única noite ela perde tudo que passou a amar. Ela passa a ser caçada por forças sobrenaturais que querem a posse de um Tesouro Celestial e, chamada de volta ao dever pela Imperatriz, ela deve se reunir com Hayden, Sylpher e outros para descobrir o que aconteceu com a antiga Guardiã Celestial da Terra, bem como exterminar a fonte do mal que assola as Sídhe, um dos reinos das Terras Imortais e lar dos faes e outros seres Elementais. Seu passado, seu futuro... Toda sua história... Nada era o que ela acreditava até então. Uma vida de segredos, de mentiras, de lendas, profecias e maldições. Os Portões Celestiais estão em perigo e as barreiras que protegem os mundos estão prestes a ruir. O tempo está acabando. Então nenhuma vida terá valor...

 

Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro A segunda aurora lançado pela editora Chiado. O livro é de autoria de Juliano Righetto e a resenha foi escrita por Leonardo Santos.  

A trama de 'A segunda aurora' se passa em um Brasil no futuro, onde após um grande incidente (um incêndio terrível que destruiu grande parte do distrito federal) que aconteceu em uma cidade próxima a da qual conhecemos nessa história, a população local decidiu construir suas residências no subsolo. 

Por mais que estejamos no futuro, a sociedade parece ter regredido no modo de viver, já que agora precisa-se caçar para ter alimentos e todos os costumes parecem, de forma ou outra, remeter a pequenos vilarejos da Idade Média. Com isso, o contato com a natureza é mais intenso, seja através da caça nas florestas locais ou da observação das estrelas no Estrelatário. 

Além disso, existe uma grande mitologia envolvendo toda a existência deles, principalmente de um deus chamado Sucara, extremamente vingativo que a qualquer momento pode se virar contra eles. Esse momento parece ter chego quando Tine, uma jovem, encontra um ser estranho de floresta; um ser de olhos brilhantes que parece não ser dali. 

Assim que a aldeia estabelece contato com aquela figura misteriosa, eles descobrem que Heitor é um astronauta que vivia em uma São Paulo extremamente tecnológica de antes da regressão, conforme Heitor e o time de astronautas vão se interligando a população local, o choque de culturas e crenças começa a criar um abismo que pode se propagar para todos os cantos, causando uma verdadeira revolução naquilo que eles conhecem como existência. 

Com uma narrativa interessante e reflexiva, esse é meu primeiro contato com a escrita de Righetto, que traz elementos de um gênero que eu amo tanto, a ficção científica, de um modo repaginado e bem nacional. Digo isso porque não estou acostumado a ler esse gênero escrito por autores nacionais, e fiquei bem feliz por ter tido acesso a essa história. 

Como um grande épico, a história de "A segunda aurora" tem uma série de personagens e relações entre si, se por um lado temos a jovem Tine,  seu primo Lemaro (caçador daquele local), Rubiza (com quem Tine tem um leve conflito no início da trama) e Deati (uma espécie de sabedoria daquele grupo) possuem seu devido protagonismo e ajudam a trama crescer conforme a tensão vai criando forma. 

Do outro lado temos Charlie, Caroline, Heitor Rushid e Yuankai, os membros da espaçonave "Aurora" que desembarcam naquele local. Um dos pontos mais interessantes do livro é em como esse confronto de duas realidades opostas se casam. O autor estabeleceu pontos bem importantes de serem discutidos, como por exemplo o fanatismo a religião, o preconceito e outras pautas sociais que são abordadas. 

Por ser um livro grande, o ritmo de leitura pode sofrer um pouco, principalmente no começo onde temos a apresentação do enredo, cultura local e personagens! Cheguei até em travar em algumas partes e acho que o plot inicial poderia ser trabalhado um pouco mais para fichar mais fluído e um pouco menor, mas isso vai muito da experiência pessoal de cada um. 

De resto, a leitura foi bem interessante e me prendeu durante o mês inteiro que eu me dediquei a ele! A edição está incrível e vale a pena dar uma conferida! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: O RETRATO DE DORIAN GRAY

NOVIDADES PARA 2022

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels