.

RESENHA: OS SOFRIMENTOS DO JOVEM WERTHER

8 de abril de 2021


OS SOFRIMENTOS DO JOVEM WERTHER 

Autor(a): Johann Wolfgang von Goethe
Editora: Antofágica.

Páginas: 264
Ano de publicação: 2020
Compre através deste link.

Após se mudar para um encantador vilarejo no interior da Alemanha, o jovem Werther passa a escrever para seu amigo Wilhelm sobre os encantos do local - a natureza, os jardins, os aldeões e a paixão por Charlotte, um amor proibido que mudará os humores e o destino dele. O desenvolvimento cada vez mais sombrio e o triste fim da história de Werther comovem leitores desde sua publicação original, em 1774. Goethe, um dos maiores nomes da literatura mundial, criou nesse romance uma das obras mais importantes da literatura alemã e promoveu uma literatura intimista e inspirada em sentimentos.

Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro O sofrimento do jovem Werther, lançado pela Editora Antofágica. O livro é de autoria de Johann Wolfgang von Goethe e tradução de  Claudia Dornbusch e ilustrado por Leandro Melite.


Com uma narrativa transcrita em forma de cartas periódicas a um amigo de longa data, conhecemos então o jovem Werther. Depois de se mudar para uma pequena vila no interior da Alemanha, o rapaz passa a escrever periodicamente para Wilhelm, e nessas cartas o protagonista narra a respeito do belo cenário do qual se encontra e das pessoas que ali vivem, inclusive de uma mulher chamada Charlotte, por quem Werther passa a sentir uma paixão avassaladora.

Lotte, no entanto, está prestes a se casar. Seu compromisso torna nulo quaisquer relacionamento entre os dois, para o puro desespero do escritor. Nisso, conforme a leitura avança nós vamos mergulhando na mente de Werther, seus sentimentos explodem através das palavras das quais escreve, temos ecos de toda sua psique e alma. Toda a calmaria e brutalidade que o amor pode proporcionar. 


 Pouco conhecia a respeito do trabalho de Johann Wolfgang von Goethe antes de me deparar com essa belíssima edição da Antofágica. Seu trabalho é muito valorizado pela literatura até hoje e isso acontece pois Os sofrimentos do jovem Wether é muito mais do que uma narrativa de amor não alcançado, esta obra foi responsável por popularizar o movimento literário alemão chamado “Sturm und Drang” (Tempestade e Ímpeto).

Esse movimento tinha a intenção de abordar o homem como um sujeito cujos sentimentos se sobrepõem à razão. O reflexo desse movimento está no personagem principal da nossa obra, Werther. O livro é dividido em dois tomos, duas partes que se diferenciam MUITO de si. 


Enquanto na primeira parte temos descrições belas a respeito da natureza, das relações humanas e de tudo aquilo que contempla a vida; no segundo todo o cenário parece mudar de forma grotesca conforme toda a dor do amor não correspondido é explorada. Esse fator me pegou de muita surpresa, pois a maestria do autor em proporcionar dois tons tão diferentes em sua curta história (com média de 200 páginas) é realmente de se admirar. 


Além disso, Werther é um personagem que se questiona sobre muitas coisas, seus monólogos escritos em seus relatos nos fazem refletir a respeito de nossa própria natureza, então podemos dizer que um livro escrito no século XVIII tem muito a dizer na nossa contemporaneidade - o que o torna um clássico. 

Além da narrativa, essa edição da Antofágica conta com um material extra maravilhoso, um dos artigos que contemplam mais a leitura fala sobre o efeito que a obra-prima de Goethe teve em cima da geração de romancistas que surgiram depois. O efeito foi colossal! Só não posso dar mais detalhes pois acabaria entregando spoilers do final. 


A ilustração que banha as páginas também tem seu charme próprio, já se tornou uma marca registrada da editora trazer ilustradoras e ilustradores com um traço incrível, que de forma ou outra contribuem ainda mais para mergulharmos na leitura! Dessa vez Leandro Melite trás uma beleza melancólica e romântica na primeira parte, brutal e cortante na segunda. 

Por isso, aventurem-se nos relatos tristes de Werther! Abaixo deixarei um vídeo que complementa e muito toda a experiência dessa narrativa!


 

2 comentários:

  1. Leo!
    Livros com escrita epistolar são sempre interessantes, porque não se tornam enfadonhos e podemos acompanhar os sentimentos impressos nas cartas. E que genialidade trazer os dois lados desse amor. O melhor é que é ilustrado, sensacional.
    Vídeo ótimo.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. É um livro super importante para a literatura romântica e teve um efeito fora do normal na sociedade da época!! Pude conhecer mais profundamente na graduação. Essa edição é mto bonita e bem feita

    ResponderExcluir



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: SEMPRE EM FRENTE (SIMON SNOW #1)

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels