.

RESENHA: OS ASSASSINATOS NA RUA MORGUE E OUTROS CONTOS

21 de setembro de 2021

 


OS ASSASSINATOS NA RUA MORGUE E OUTROS CONTOS 
Autor(a):  Edgar Allan Poe
Editora: Antofágica

Páginas: 256
Ano de publicação: 2021
Compre através deste link.

Este é Monsieur Dupin: um honrado cidadão de Paris que, usando apenas a observação aguçada e a lógica, desvenda casos considerados insolúveis pelas autoridades. Em “Os assassinatos na rua Morgue”, mãe e filha são assassinadas em um apartamento fechado, sem qualquer sinal de arrombamento. Depois de ouvir gritos estridentes, vizinhos entram e saem da cena do crime, cada um com uma especulação diferente sobre quem teria sido o assassino. Mas só Dupin encontra as chaves desse enigma. Sua fama se espalha pela cidade, e ele é convidado pelo comissário de polícia para investigar o desaparecimento de uma jovem vendedora de perfumes. Dessa vez, para solucionar “O mistério de Marie Rogêt”, Dupin sequer precisa sair de casa: recortes de jornal bastam. Em “A carta roubada”, nosso “detetive” demonstra uma argúcia ainda maior. Um documento desaparece, e qualquer denúncia às autoridades levaria à revelação de seu conteúdo comprometedor. Mas, para deixar tudo mais interessante, a identidade do criminoso não é um segredo, e Dupin é desafiado a roubar a tal carta de volta – na esperança de que mereça cem anos de perdão.



Fala galera do Porão Literário, tudo certo? Hoje minha resenha é do livro Os assassinatos na rua Morgue e outros contos lançado pela editora Antofágica. O livro é de autoria de Edgar Allan Poe e a resenha foi escrita por Leonardo Santos. 

- Se trata dum caso que requeira reflexão - observou Dupin, ao abster-se de acender o pavio -, examiná-lo-emos melhormente no escuro" 




A pergunta é: quem não ama bancar o detetive? Direto nos deparamos com algo que provoque aquele sentimento de curiosidade, de "como será que isso aconteceu? De que forma?" Vestimos a boina e pegamos nosso cachimbo figurativo para solucionar esses mistérios que o cotidiano traz e pronto, somos os novos Sherlocks. 


Holmes com certeza é um dos detetives mais famosos da literatura, mas ele não é o primeiro. Antes dele tivemos Dupin, um detetive com enorme poder de dedução e habilidades retóricas de tirar o chapéu (no caso a boina). Escrito por Edgar Allan Poe, a tríade de contos com o detetive Dupin exploram casos que, até então, parecem ser impossíveis de serem solucionados. 


Bem... até Dupin aparecer, no caso. A edição da Antofágica reúne esses três contos policiais em uma compilação única, aquela que leva o título da obra e o primeiro conto ficcional investigativo-policial que se tem registro na literatura! Bom, pelo menos dessa forma como conhecemos! Um assassinato hediondo tomou palco na Rua Morgue, em Paris, e Dupin é chamado pelo Inspetor Chefe do departamento de polícia para oferecer seus serviços de dedução. 

A cena do crime é macabra, os corpos foram dilacerados e o ambiente parece ter sido revirado! Quem (ou o quê) teria feito uma atrocidade daquelas? É o que vamos descobrir conforme o detetive e seu amigo dialogam a respeito do caso. 



Além dele, temos outros dois contos: O mistério de Marie Rogêt, que nada mais é do que um conto baseado em um caso real que chocou a população da época; e A Carta Roubada, uma narrativa que envolve um jogo político entre a aristocracia da época e o poder ministerial. 

Confesso que o conto da Carta é o meu preferido, é nele que Dupin utiliza de todos os seus talentos para chegar a uma conclusão a respeito de quem roubou a tal carta. 


Dizer muito sobre o enredo é estragar a história para os leitores que estão se aventurando nesse lado do Poe (que poucos conhecem), por isso minha indicação é: vá em frente e leia. Os contos são relativamente curtos e, por isso, não possuem muitos personagens. A leitura é extremamente dinâmica e por mais que Dupin ame um monólogo, sua fala é tão fascinante e seu raciocínio é tão atrativo que fica quase impossível não querer continuar a entender sua formidável mente. 


Poe dá margem ao leitor de trabalhar como investigador, preenchendo lacunas que o texto (propositalmente) vai deixando. Ler Dupin é uma experiência incrível que ganha mais dimensão com a edição da Antodágica, isso porque além do texto ser repleto de ilustrações  criadas por Fernanda Azou, o livro ainda traz  "apresentação de Adriana Cecchi, criadora da plataforma multimídia de conteúdo Redatora de M*%$#. Nos posfácios, Daise Lilian, professora de literaturas de língua inglesa (UFCG), contextualiza a obra de Edgar Allan Poe, e Bruno Paes Manso, jornalista e pesquisador do Núcleo de Estudos da Violência (USP), analisa a influência da obra de Poe em nosso imaginário sobre o crime, a lei e a ordem. Alberto Mussa, premiado autor policial brasileiro, assina um ensaio sobre a influência intelectual e afetiva de Edgar Allan Poe em sua trajetória"



Nenhum comentário:

Postar um comentário



Olá leitores e leitoras! Meu nome é Leonardo Santos, tenho 24 anos, sou de São Paulo mas atualmente estou em Minas Gerais cursando Letras! Minha paixão pela leitura começou desde muito cedo, e é um prazer compartilhar minhas leituras e experiência com vocês!

.

Caixa de Busca

Conheça a equipe do Porão!

SIGA O PORÃO LITERÁRIO!

POST DO DIA

RESENHA: A ASSOMBRAÇÃO DA CASA DA COLINA

PROJETO "LENDO CLÁSSICOS"

SIGA NO INSTAGRAM

Categorias

ÚLTIMAS LISTAS LITERÁRIAS

Facebook

Arquivos

Leitura coletiva PJO

LITERATURA E MÚSICA

Tecnologia do Blogger.

HQ'S e Graphic Novels